Segunda-Feira, 17 de Janeiro de 2022

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< ECONOMIA Inadimplência segue em queda, mas os preços em alta

Publicada em 27/10/2021 às 22:22
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
(Foto: Abr)

ECONOMIA

Apesar da incerteza em relação ao futuro da Economia brasileira, há uma recuperação gradual das atividades que estavam restritas ao funcionamento por causa da pandemia. Em Sorocaba, colégios e empresas já estão voltando completamente ao funcionamento presencial, bares e restaurantes também estão buscando a normalidade e os eventos estão entrando nas agendas. O resultado é uma retomada do setor do comércio e serviços, mesmo que de forma lenta, como destaca o setor econômico da Associação Comercial local, que em parceria com a Athon/Ensino Superior, pesquisa mês a mês o cenário na cidade e atesta que o rumo da economia tem influência direta sobre a disponibilidade de crédito e o volume de financiamentos. “Tendo em vista que um ritmo lento para a economia significa um volume menor de renda circulando, o que impacta positivamente sobre a demanda por crédito, que segue em alta”.

Em contrapartida, aponta ainda os técnicos da Associação Comercial de Sorocaba, a inadimplência segue em uma tendência de queda na cidade. O banco de dados da entidade classista, administrado pela Boa Vista SCPC aponta 69.782 registros de dívidas no mês de setembro, uma redução de 1,72% em relação ao mês anterior. No ano, apresenta uma baixa de 17,34%.

Em relação aos CPFs negativados, houve uma queda de 1,41%, totalizando 48.976 pessoas com o ‘nome sujo’. Até setembro, o total das dívidas somava R$ 45 milhões. 

Segundo o economista Roque Camargo, os dados podem indicar dificuldade tanto para pessoas físicas, como jurídicas na contratação de crédito, bem como na expectativa de alta nas taxas de juros, que se iniciaram em abril. Nesse sentido, com uma inflação acelerada (10,25%), dada à escassez e dificuldade para se conseguir insumos tanto no mercado interno, como no Exterior, há uma tendência de continuidade no aumento da taxa Selic, que está em 6,25%, o que pode impactar sobre a inadimplência futura em Sorocaba.

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar