Segunda-Feira, 24 de Janeiro de 2022

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< CULTURA Frestas - Trienal de Artes tem exposição aberta no Sesc e espaços públicos da cidade

Publicada em 28/09/2021 às 19:59
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
(Foto: Divulgação)

A terceira edição de Frestas – Trienal de Artes, no Sesc Sorocaba, prossegue em cartaz até 30 de janeiro de 2022 e extrapola os limites territoriais da unidade, no Jardim Faculdade, com obras expostas em espaços públicos da cidade, que podem ser visitadas gratuitamente, sem necessidade de agendamento prévio. A intervenção em espaços públicos é uma marca da trienal realizada pelo Sesc desde sua primeira edição, em 2014. Nesta, que leva o título “O rio é uma serpente”, com curadoria de Beatriz Lemos, Diane Lima e Thiago de Paula Souza, há obras na avenida Professor Arthur Fonseca, ainda no Jardim Faculdade, atrás do Sesc Sorocaba; na avenida Comendador Pereira Ignácio, no Jardim Vergueiro; e no Parque da Biquinha, no Jardim Emília.

Uma das obras de grande repercussão é, certamente, a maior em dimensões: ‘Pavimento nº 1’, da artista Jota Mombaça, de Natal (RN), consiste numa pintura de grande extensão sobre a avenida Professor Arthur Fonseca. Letras vermelhas que preenchem toda a largura da via formam a frase “A fuga só acontece porque é impossível”, ocupando mais de cem metros de asfalto.

O Zumvi Arquivo Afro Fotográfico, idealizado em 1990 por Lázaro Roberto, Ademar Marques e Raimundo Monteiro, três jovens negros da periferia de Salvador, ocupa um outdoor na avenida Comendador Pereira Ignácio, esquina com rua Cônego Januário Barbosa, com a ampliação da fotografia ‘Protesto do Movimento Negro contra o Centenário da Abolição no Brasil’, de Lázaro Roberto. O Zumvi também conta com um conjunto de fotos no espaço expositivo de Frestas, dentro do próprio Sesc. Já o Parque da Biquinha abriga duas obras concebidas para dialogar com as pessoas em meio à natureza. A instalação ‘Esculturas para bailar merengue’, do artista Engel Leonardo Baní, da República Dominicana, é composta por três peças que evocam a cromaticidade e as formas das cenografias típicas da era dourada do merengue caribenho na década de 1980. O conjunto escultórico conta ainda com um sistema de áudio que reproduz canções que remetem a distintos momentos dessa historicidade sonora. Ali está também a instalação inédita ‘Labirinto’, assinada pela artista goiana Sallisa Rosa em parceria com o coletivo paulistano ‘Sucata Quântica. Encravada’. Colocada em meio ao Parque, a instalação feita de elementos orgânicos e sucata convida o público a realizar uma travessia em que interessa menos onde se chega e mais como se atravessa.

O Parque da Biquinha, na avenida Comendador Pereira Ignácio, 1.112, Jardim Emília, funciona de terça a domingo, das 8 às 17 horas.

NO SES SOROCABA - Além dos trabalhos em espaços públicos, a exposição de Frestas’2021 apresenta a maior parte das obras dos 53 artistas e coletivos participantes em uma área de 1.300 metros quadrados na unidade de Sorocaba do Sesc, situada à rua Barão de Piratininga, 555, Jardim Faculdade. Para visitar a mostra, porém, é necessário realizar agendamento antecipado e gratuito pelo site sescsp.org.br/frestas.

 

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar