Quinta-Feira, 2 de Dezembro de 2021

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< EDITORIAL Contra a devastação sem fim

Publicada em 21/09/2021 às 19:48
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
Como nunca neste século, depois de centenas de anos explorando os recursos naturais, quase sempre sem se preocupar com sua capacidade de recuperação, a humanidade começou a pagar da pior maneira possível o seu grande débito para com a natureza. Com a chegada da primavera, nunca é demais lembrar como as mudanças climáticas surpreendentes e os fenômenos naturais agressivos tornaram-se cada vez mais comuns e só cessarão se medidas firmes forem colocadas em prática o quanto antes em todo o planeta. Mesmo parecendo difícil, este é um processo que, no Brasil, se contar com a união, a boa vontade e a responsabilidade dos governantes e de todos os brasileiros, poderá alcançar resultados promissores, servindo de exemplo para o mundo todo. Ninguém pode continuar ignorando como o Brasil é um país que depende de maneira dramática da natureza, bastando verificar como o baixo nível dos rios nesta época prejudica de todas as formas todo o território nacional. 
Neste momento, quando os novos aromas da natureza e o brilho de suas cores vão se manifestando pelo Brasil afora no ritmo da primavera em festa, os trágicos fenômenos que nunca deixam de mostrar sua força precisam ser avaliados em toda sua extensão. Todos os estragos que se multiplicam têm as mesmas causas dos desastres que nunca deixam de atingir todas as partes do mundo. Algumas dessas causas säo a má administração dos recursos hídricos, o desrespeito aos limites de preservação das matas ciliares, o alto índice de impermebeabilização do solo, as queimadas sem fim e, principalmente, como enfatizam os cientistas, os desajustes térmicos em escala global, provocados pelo efeito estufa. 
 

"As ações predatórias que se verificam de forma indiscriminada seguem como se nada fosse feito para mudar os rumos de toda a devastação da natureza que se observa no Brasil e no mundo todo"

 
Por enquanto, infelizmente, as previsões dos especialistas não são nada animadoras, tendo em vista que a tendência é de que o clima se torne mais e mais inóspito nos próximos anos, não se descartando a hipótese de um verdadeiro colapso em prejuízo de toda a humanidade já nos próximos 30 anos. Sabe-se que o discurso da conscientização ecológica começou a se popularizar muito mais ao longo deste século 21, passando a ser um conteúdo corriqueiro, inclusive para as crianças do Ensino Fundamental. Apesar disso, as ações predatórias que se verificam de forma indiscriminada seguem como se nada fosse feito para mudar os rumos de toda a devastação que se observa.
Mais do que nunca, portanto, antes que o pior continue a se aproximar cada vez mais da humanidade, tudo por causa das ações negativas do homem, já está na hora de o discurso virar prática e tornar o pensamento ecológico uma verdadeira bandeira para se defender da natureza em fúria no Brasil e no mundo todo.       
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar