Sábado, 19 de Junho de 2021

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< EDITORIAL Discriminação irresponsável

Publicada em 12/05/2021 às 18:55
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
Nesta data em que se comemora a passagem dos 133 anos do fim da escravidão no Brasil, assinada pela Princesa Isabel no dia 13 de maio de 1888, falar da maneira de ser brasileira é ter em mente uma diversidade muito grande, pois, ao longo da história do Brasil, muitos imigrantes aqui chegaram trazendo consigo a sua cultura. Poderiam ser citadas inúmeras etnias que muito contribuíram para construí-la. No entanto, neste dia é preciso enfocar apenas uma delas, a africana. Na verdade, ao contrário de falar em abolição, devemos lembrar que a chegada dos negros ao Brasil, trazidos pelos colonizadores, como mão de obra para trabalhar na indústria açucareira, possibilitou a inserção da sua cultura, que acabou por influenciar a todos, além da enorme força que foi dada para a grande evolução do País.
Apesar da convivência que tiveram com os senhores de engenho e suas famílias, os negros nunca deixaram de colocar sua cultura à frente de tudo, mostrando a riqueza que ela possuía. Dentre as influências pode-se constatar que a cultura negra está presente na língua, pois muitas palavras do nosso idioma dela se originaram. Muitos cantores brasileiros, como Gilberto Gil, Tim Maia e Sandra de Sá, entre tantos outros, são descendentes de negros com muita honra. Ao longo de tantos anos, no que diz respeito às artes, nunca deixou de existir e prosperar uma grande expressão afro, sem se falar da multiplicação de sabores que nunca deixaram de existir na alimentação brasileira.
 
"A grande missão a ser cumprida por todos os brasileiros é a eliminação de uma vez por todas de toda a discriminação  irresponsável que ainda persiste no País"
 
Por isso mesmo, não deixa de ser um absurdo uma minoria branca sentir desprezo pelo simples fato de conviver no meio de uma nação de cor escura. Esse preconceito não existe só no Brasil, como em várias partes do mundo. Recorda-se que Hitler, na sua insanidade sem fim, dizimou milhões de judeus, eslavos e ciganos em nome de uma superioridade ariana. Nos Estados Unidos foi preciso uma guerra civil entre o Norte e o Sul para acabar com a segregação racial.
O fato é que o Brasil é formado por grandes diferenças culturais, mas isso não pode implicar em discriminação, pois a construção da identidade brasileira passa obrigatoriamente pela preservação dos direitos de todas as pessoas e não simplesmente pela diferença da cor. Infelizmente, ainda hoje, seja qual for a pesquisa a ser feita, utilizando-se a metodologia que bem entender, o resultado sempre será a mesma coisa, ou seja, a disparidade de preconceitos sobre os descendentes da raça negra. 
Nunca é demais lembrar que a distribuição de renda sempre é a mesma vergonha permanente na comparação brancos e negros. O mesmo ocorre na escolaridade e em várias outras atividades. E isso, em pleno século 21, precisa mudar com urgência, principalmente através da evolução das novas gerações. Essa é a grande missão a ser cumprida por todos os brasileiros, eliminando-se de uma vez por todas a discriminação irresponsável que ainda existe no País.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar