Quinta-Feira, 6 de Maio de 2021

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< EDITORIAL Desafios dos novos tempos

Publicada em 29/04/2021 às 18:02
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

A exemplo do ano passado, o dia 1º de maio deste ano também transcorre num ambiente de profundas dificuldades e transformações para todas as milhões de pessoas que estão desempregadas no Brasil. Um País pobre como o nosso, mas com enorme potencial de desenvolvimento, com sua população economicamente ativa na casa de 110 milhões de habitantes, sofre agudamente as consequências desse processo, principalmente nos tempos atuais em que a fúria do novo coronavírus atormenta a vida de toda a população. Como até agora não se conseguiu encontrar soluções adequadas para reduzir os problemas de todos, todo mundo só vê aumentar as carências e as tensões sociais de um nível insuportável e inédito.

A verdade é que o Brasil, a exemplo de tantos outros países, não só foi surpreendido pela revolução no mercado de trabalho e pelo avanço devastador da covid-19, cujo impacto ninguém estava preparado para enfrentar. A partir do mês de março de 2020, as mudanças foram rápidas e acentuadas demais, com tudo piorando ao redor de todos os trabalhadores, notadamente daqueles que não encontram uma oportunidade no mercado de trabalho. De alguns anos para cá, os avanços tecnológicos trouxeram a automação de tarefas, enquanto as máquinas sofisticadas passaram a operar com mínima participação humana. Em paralelo, como se sabe, modernos métodos de gestão reduziram o concurso da mão de obra. Assim, não foi necessário mais nada para que, na faixa de trabalho de nível superior e médio, dezenas de milhares de postos fossem suprimidos com muita rapidez.

"O universo do trabalho tornou-se muito exigente e seletivo, fazendo estacionar, em níveis mais baixos, o efeito do estreitamento dos canais de contratação profissional"

Tudo isso acabou pressionando a base da pirâmide, criando um aquecimento da concorrência e novas demandas. Em síntese, o universo do trabalho tornou-se muito mais exigente e seletivo, fazendo estacionar, em patamares mais baixos, o efeito do estreitamento dos canais de contratação profissional. Pode-se dizer que trabalhar ficou muito mais difícil e, o que é pior, no plano das relações com vínculo empregatício legal a queda dos salários acompanhou o corte do número de vagas. Trata-se realmente de um quadro desolador e extremamente complicado, com tudo sendo impulsionado pela força da pandemia que torna a vida de todo mundo muito mais dramática.

O fato é que as soluções só se mostram viáveis a longo prazo, sendo a primeira delas o combate ferrenho ao novo coronavírus e a qualificação dos jovens. O futuro brasileiro só poderá ser realmente auspicioso com a melhoria do ensino básico, técnico e universitário, de forma a capacitar como se deve a mão de obra para todas as atividades indispensáveis para garantir tudo o que existe de bom para o novo Brasil que todos esperam. É grande a missão que compete aos governantes e ás classes empresariais para que o direito ao trabalho não seja apenas uma coisa vaga e sim algo de concreto para dar sustentação material ao legítimo sentimento de cidadania.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar