Quinta-Feira, 6 de Maio de 2021

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< EDITORIAL As reformas inadiáveis

Publicada em 15/04/2021 às 17:27
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Considerando-se que a reforma administrativa no Brasil sempre é um tema dos mais importantes, principalmente em razão dos gastos desnecessários que os cofres públicos são obrigados a suportar, com tudo sendo pago pela sociedade brasileira, foi bastante oportuno o artigo do empresário J. A. Puppio publicado em nossa edição de quarta-feira (14) abordando essa questão. De fato, diante de tantos absurdos que ocorrem no País, a reforma administrativa se faz mais do que necessária. Da mesma forma, também é importante lembrar da necessidade de uma ampla reforma tributária no País, já que dela depende os rumos da Nação em busca de seu progresso e desenvolvimento. As duas reformas são de fundamental importância para a virada de mesa que o Brasil tanto precisa.                     

Apesar de não ser de hoje que todos reconhecem a importância da reforma tributária, principalmente para garantir mais investimentos estrangeiros no Brasil, trata-se de um tema que também não avança, arrastando-se ao longo dos anos. Mais do que nunca, levando-se em conta que a questão tributária é um problema que se agrava cada vez mais, está na hora de ser criado um grupo de trabalho especialmente destinado para analisar a funcionalidade que esse tema exige em âmbito nacional. Inúmeros economistas já diagnosticaram que o atual sistema há muito que está superado, principalmente por ser regressivo, complexo, anticompetitivo, antiemprego e responsável por muitos desequilíbrios existentes no orçamento da União. Basta lembrar, de acordo com alguns especialistas, que hoje em dia a circulação de mercadorias não é mais física, e sim virtual, sendo que está há muito está distante da carga tributária mais elevada.

"É preciso sair do lugar comum e priorizar de uma vez por todas aquilo que realmente é o melhor para o desenvolvimento do Brasil"                    

Há que se considerar, acima de tudo, como são amplamente reconhecidos os elevados custos que qualquer empresa têm para atender ás exigências da legislação tributária. E isso, inevitavelmente, acaba penalizando os pequenos empreendedores, já que as firmas menores é que gastam mais com funcionários e recursos para cumprir o que é fixado em lei.                   

Naturalmente, é problemático mexer nessas estruturas, principalmente pela resistência daqueles que em muitos casos podem ter a sua carga tributária elevada. Apesar disso, é essencial que as reformas administrativa e tributária sejam vistas como essenciais e possam ser promovidas o quanto antes. Infelizmente, ao contrário de reformas mais amplas, via de regra sempre se prefere ações isoladas, cujo objetivo e apenas aumentar as receitas públicas. É preciso sair do lugar comum e priorizar de uma vez por todas aquilo que realmente é o melhor para o Brasil.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar