Terça-Feira, 11 de Maio de 2021

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< EDITORIAL Aflições prolongadas

Publicada em 04/03/2021 às 17:54
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

A chegada das vacinas contra a Covid-19 no Brasil não deixou de trazer alento e de renovar a esperança de todos em dias melhores e bem menos assustadores que os atuais. O que se lamenta, no entanto, é que elas ainda são poucas, daí a lentidão com que as pessoas estão sendo imunizadas, o que torna tudo muito mais difícil para os brasileiros em geral. Se o presidente Jair Bolsonaro e o Ministério da Saúde tivessem adotado providências imediatas para garantir a imunização de grande parcela da população nacional, certamente os problemas causados pela doença já poderiam ser de menos aflições na vida do País. Ao contrário, porém, os males continuam se acentuando, tanto é que a partir deste sábado, dia 6, todos os municípios paulistas estarão voltando à fase vermelha do Plano São Paulo, que é justamente aquele que traz mais restrições a toda população.                         

Diante de tudo aquilo que deixou de ser feito no momento oportuno, as coisas tornaram-se complicadas demais e obrigando a maioria dos profissionais de saúde a se desdobrar para conseguir manter a qualidade do atendimento. Pode-se dizer que a mudança na rotina, plantões puxados, a perda de colegas de profissão e de pacientes resumiram o ano de 2020 na área médica, fato que vai se agravando neste ano com a lotação dos leitos de UTI em todos os hospitais do Brasil.

"Prolongar o tempo perdido só mostrará como o Brasil está atrasado no combate à doença que já contabilizou a morte de mais de 560 mil brasileiros"

O pior de tudo é que ainda agora não existe elaborado um plano claro e efetivo de vacinação em todo o território nacional. Ainda são muitas as desinformações existentes. Mais uma vez o Brasil fica atrasado na comparação com outros países, principalmente em razão de brigas políticas que só servem para atazanar a vida de todos os brasileiros. Basta lembrar que o presidente da República já recomendou a seus ministros não atender ás reivindicações do governador João Doria para o Estado de São Paulo. Em plena pandemia, os conflitos entre os dois não deixam de ser vistos como uma ação muito bem organizada por Bolsonaro, que sempre se esmera em seus espetáculos constrangedores. Infelizmente, tudo isso não para de ocorrer em meio à devastação social e econômica que vai tomando conta do País.      

Diante do que vem ocorrendo desde o início da pandemia, não se pode desprezar a chegada de uma recessão misturada pelas mortes sem fim, desemprego e aflições financeiras de todos os brasileiros. O que se espera de fato é que os governantes, políticos e cidadãos façam a sua parte como se deve para que as coisas não piorem cada vez mais. A sensação é de que todos decidiram polemizar, escolhendo os caminhos mais difíceis de serem trilhados. Prolongá-los por mais tempo sem necessidade só mostrará como o Brasil está atrasado no combate à doença que já contabilizou a morte de mais de 560 mil brasileiros.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar