Quinta-Feira, 6 de Maio de 2021

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< EDITORIAL A hora das reformas urgentes

Publicada em 04/02/2021 às 17:54
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
Superada a fase que marcou a intensa disputa para a presidência da Câmara dos Deputados e do Senado, resta saber se de fato os novos presidentes das duas Casas realmente vão contribuir para a concretização, de uma vez por todas, das reformas que säo necessárias para o Brasil seguir como se deve em busca de melhores dias para os brasileiros em geral. Da mesma forma, diante de sua maneira de ser, também é preciso saber se o presidente Jair Bolsonaro terá condições de manter um bom relacionamento com seus novos aliados no Congresso Nacional.
Em torno das pautas que agora deverão ser colocadas novamente em discussão, sabe-se que mesmo com limitações, tanto no que diz respeito à expectativa da economia de recursos públicos como do alcance do combate a privilégios, a proposta de uma reforma administrativa merece todo o apoio da sociedade. Certamente, um ponto favorável no texto enviado pelo governo ao Congresso é que as novas normas não atingem o atual quadro de funcionários. O lado importante é a tentativa de implantar no funcionalismo a meritocracia, onde a competência e não o tempo de casa garante promoções e aumento de salários.
 
"O que não pode, naturalmente, é alguém querer se aventurar de forma irresponsável na aprovação de uma nova carga pesada de impostos, a exemplo da antiga CPMF"
 
Da mesma forma, a reforma tributária também é outra pauta que que merece ser discutida o quanto antes, levando-se em conta a sua importância para aliviar os problemas financeiros que os brasileiros enfrentam. Todos sabem muito bem como os contribuintes pagam impostos demais no País. Como ninguém ignora, cada brasileiro é obrigado a trabalhar quase cinco meses por ano para pagar os tributos que se multiplicam e cujo destino nunca corresponde às expectativas da população. É só verificar, por exemplo, como são enormes as filas que todo mundo é obrigado a enfrentar para conseguir um atendimento digno nas unidades de saúde.
O que se espera, evidentemente, é que a reforma administrativa possa contribuir para otimizar a máquina pública, sempre burocrática e que impede o desenvolvimento do Brasil. Já com a tributária será possível simplificar a sistemática de arrecadação da carga de impostos. O que não pode, naturalmente, é alguém querer se aventurar de forma irresponsável na aprovação de mais impostos, a exemplo da antiga CPMF (Contribuição Provisória de Movimentação Financeira). Desde que essas reformas possam ser levadas a bom termo, sem atrapalhar a vida dos mais pobres, o País finalmente estará pronto para competir economicamente com o mundo todo, inclusive recebendo muito mais investimentos estrangeiros.
Para que tudo isso se concretize o quanto antes, é grande a responsabilidade de atuação positiva do governo federal e do Congresso Nacional.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar