Sexta-Feira, 28 de Janeiro de 2022

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< EDUCAÇÃO Notas do Enem pioram em Matemática, Linguagens e Ciências da Natureza

Publicada em 05/10/2016 às 07:54
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
(Fernando Rezende)
O desempenho das escolas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2015 piorou em Matemática, Linguagens e Ciências da Natureza. As notas só aumentaram em Ciências Humanas e Redação, em relação à edição de 2014. Os dados foram divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), órgão responsável pelo exame, nesta terça-feira (4). Em Sorocaba, se relacionadas apenas as médias nas provas objetivas, as escolas privadas lideram os melhores desempenhos, seguidas das técnicas. 
 
No âmbito geral, a nota de Matemática recuou de 481 pontos, em 2014, para 475. Em Ciências da Natureza, a queda foi de 487 pontos; já em Linguagens, saiu de 511 para 504. Em Ciências Humanas, o aumento foi de 546 pontos para 555. Em redação, houve a maior mudança, de 52 pontos, ou seja, a nota subiu de 491 para 543 pontos. 
 
Entre as escolas particulares em Sorocaba, as primeiras da lista são Colégio Uirapuru, com média na parte objetiva de 668 pontos e 784 na redação; Colégio Politécnico, com 626 e 722; e Sistema Educacional Sorocaba, com 617 e 641, respectivamente. Já na lista das estaduais encontra-se a Escola Técnica “Rubens de Faria e Souza”, que obteve 599 na fase objetiva e 657 na redação. Em seguida, vem a “Fernando Prestes”, que também é de Ensino Técnico, com 581 nas objetivas e 614 na redação. A Escola Estadual “Professor Aggeo Pereira do Amaral” encontra-se entre as com maiores pontuações na parte objetiva, ficando em 518 pontos de média.
 
De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais “Anísio Teixeira” (Inep), os resultados do Enem por escola devem ser considerados com cautela, uma vez que a participação dos estudantes no exame é voluntária. “Diante da heterogeneidade de contextos onde as escolas estão inseridas, torna-se necessário considerar o desempenho dos alunos associado aos diferentes fatores que caracterizam esses contextos. Toda e qualquer comparação entre escolas pertencentes a contextos diferentes sem a devida ponderação entre o desempenho e os diferentes fatores intra e extra escolares a ele associados, é considerada indevida.” 
 
O diretor regional de ensino de Sorocaba, Marco Aurélio Bugni, reforça o aviso do Inep e explica que o Enem não foi criado para comparações, diferentemente do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que, segundo ele, é um instrumento viável para avaliação em ranking. “O Ideb sim, porque estaremos relacionando um contexto, com taxas de aprovação e reprovação.” Ele salienta, ainda, que o ensino na rede estadual segue um plano não somente de avaliação, mas também de envolvimento do aluno com apostilas e provas semestrais que vêm do Estado. “As avaliações mostraram que estamos no caminho certo. Temos uma infinidade de projetos e ampliamos a rede integral, sendo até um adiantamento da possível reforma que o governo federal está propondo.” Ele elenca que os alunos também se preparam para o Enem e vestibulares com cursinhos, principalmente nos fins de semana. 
 
Já o Centro Paula Souza, que junto ao governo estadual administra as Etecs, disse que, mais uma vez, os resultados das Escolas Técnicas Estaduais mostram a qualidade do ensino oferecida. “Entre as 20 melhores escolas públicas da Capital, 19 integram a rede de instituições. Das 60 melhores escolas públicas do Estado, considerando as redes municipal, estadual e federal, 52 são Etecs. Entre as 60 melhores escolas públicas estaduais no Brasil, 41 são Etecs.” 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar