Quarta-Feira, 19 de Janeiro de 2022

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< EDUCAÇÃO Mais 4 escolas ganham salas de recursos multifuncionais

Publicada em 29/07/2016 às 06:27
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
A Secretaria da Educação, conforme a Instrução Normativa Sedu/GS nº 14/2016, está implantando mais quatro salas de recursos muntifuncionais. Com isso, o município terá 35 salas para Atendimento Educacional Especializado (AEE), a partir do segundo semestre deste ano. Na ocasião, atenderá a mais de 430 alunos.
 
As novas salas de atendimento são instaladas nas seguintes escolas: “Profª Maria Ignez Figueiredo Deluno”, no Mineirão; “Prof. José Carlos Florenzano”, no Jardim Santa Esmeralda; “Prof. Ary de Oliveira Seabra”, no Jardim Eliana; e “Profª Genny Kalil Milego”, no Residencial Herbert de Souza.
 
A chefe de divisão de Educação Especial, Sílvia Souza Elias dos Santos, destaca que, com a abertura dessas salas, serão mais 40 estudantes com deficiência, matriculados na rede municipal de ensino. “Atualmente, 388 alunos são atendidos, nas 31 unidades em funcionamento”, explica.
 
A necessidade de ampliação do número de classes de recursos multifuncionais para execução do AEE é em função da demanda de alunos da rede municipal, ressalta a chefe de divisão de Educação Especial.
 
O Atendimento Educacional Especializado ocorre em salas de recursos multifuncionais, de forma a complementar ou suplementar a formação do aluno com necessidades educacionais especiais. Essas Salas Multifuncionais asseguram às crianças com deficiência o acesso a um sistema educacional inclusivo em todos os níveis, garantindo acesso, permanência e aprendizagem no ensino regular. Em Sorocaba, esse tipo de atendimento é oferecido desde 2010. 
 
Professora do AEE há quatro anos, Pauline Jardini atende a 16 alunos por semana na Sala de Recurso da Escola Municipal “Prof. Irineu Leister”. Ela destaca que o trabalho é uma parceria com o professor da sala regular, frequentada pelo aluno. “Nosso atendimento serve para adaptação de material e habilidade, ou seja, fazemos de tudo para que a criança se desenvolva durante a aprendizagem e, com isso, possa acompanhar os demais alunos”, explica.
 
Cada aluno é atendido de uma a duas vezes por semana. No ato da matrícula no AEE, o responsável precisa apresentar laudo médico que ateste a condição do aluno. Pauline explica que são assistidos estudantes com deficiência física, intelectual e baixa visão, entre outras. “Com nosso auxílio, os alunos evoluem muito, mas, para ter resultado, precisamos do apoio dos pais, professores e gestores”, ressalta.
 
Um dos alunos atendido pela professora é Gustavo Teixeira Ventura, 7 anos, diagnosticado com atraso global de desenvolvimento. Pauline explica que o aluno está muito habituado ao atendimento e que mostra melhora no aprendizado. “Aqui na sala de recurso ele recebe o atendimento à tarde e, pela manhã, frequenta o segundo ano do ensino regular”, disse.
 
CLASSE HOSPITALAR - O AEE também é oferecido em classe hospitalar, ou seja, em ambientes onde ocorre o tratamento de saúde, seja na circunstância de internação - como tradicionalmente conhecida -, do atendimento em hospital-dia e semana ou em serviços de atenção integral à saúde mental. Atualmente, esse atendimento às crianças é prestado no Gpaci (Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil).
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar