Sexta-Feira, 21 de Janeiro de 2022

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< SAÚDE Seis unidades oferecem vacina contra febre amarela

Publicada em 29/07/2016 às 06:18
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
Segundo lista atualizada em julho deste ano, divulgada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), 42 países têm áreas de risco de transmissão de febre amarela (http://www.who.int/ith/2016-ith-annex1.pdf?ua=1). Mas, nenhum oferece risco se os viajantes estiverem imunizados contra a doença. Em Sorocaba, segundo a Secretaria da Saúde, seis Unidades Básicas de Saúde (UBSs) oferecem gratuitamente a vacina, que deve ser aplicada 100 dias antes da viagem em quem nunca foi imunizado.
 
A atenção de quem vai viajar para o exterior deve ser redobrada, pois há países que exigem do viajante o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), de cor amarela, e ainda a comprovação de que o passageiro está protegido contra a febre amarela. Esse documento também pode ser solicitado em Sorocaba. 
 
A vacina, que é oferecida gratuitamente pelo Ministério da Saúde (MS), deve ser tomada aos 9 meses de idade e reforçada a cada dez anos. De acordo com o MS, quem foi imunizado há mais de dez anos, para viajar, basta tomar uma dose de reforço e não é preciso esperar os dez dias para garantir a proteção.
 
Ainda conforme o órgão do Poder Executivo Federal, no Brasil, os locais de risco são as regiões de matas e rios dos seguintes locais: todos os Estados da Região Norte e Centro-Oeste, bem como parte da Região Nordeste (Estado do Maranhão, sudoeste do Piauí, oeste e extremo-sul da Bahia), Região Sudeste (Estado de Minas Gerais, oeste de São Paulo e norte do Espírito Santo) e Região Sul (oeste dos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). A recomendação do Ministério é para que as pessoas que moram nessas regiões ou aqueles que viajarão para esses locais, tomem a vacina caso ainda não tenham sido imunizados ou foram há mais de dez anos.
 
IMUNIZAÇÃO EM SOROCABA - Em Sorocaba, a vacina contra a febre amarela está disponível na UBS Escola, e, também, nas UBS dos bairros Paineiras, Cerrado, Vila Angélica, Jardim Simus e Vila Hortência. Na UBS Escola, a vacina é oferecida de segunda a sexta-feira, das 8 às 16 horas. As demais unidades vacinam em dias e horários variados, que podem ser conferidos na tabela abaixo.
 
Todas as pessoas imunizadas em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) recebem o Cartão Nacional de Vacinação, de cor branca, comprovante que deve fazer parte da bagagem de viagem.
 
INTERNACIONAL - A obrigatoriedade do certificado internacional segue as recomendações da OMS. Conforme lista da organização, 109 nações exigem o CIVP de quem mora em países com risco de transmissão da doença e 16 exigem o certificado de todos, independente do país de origem.
 
Em geral, a troca do cartão de vacinação, do branco para o de cor amarela, é feita nos postos da Anvisa localizados nos portos, aeroportos, passagens de fronteiras ou Sedes da Coordenação em todo o território nacional. O Brasil não exige o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia para entrada no País.
 
Em Sorocaba, a emissão do CIVP está disponível nas UBSs Vila Angélica, Vila Hortência e Cerrado (Veja tabela abaixo). Apenas o portador pode solicitar o cartão, com exceção de crianças. Antes de ir à UBS, o requerente precisa fazer um pré-cadastro no site da Anvisa (www.anvisa.gov.br/viajante ). Na unidade de saúde, é necessário apresentar a Carteira Nacional de Vacinação e documento com foto (Carteira de Identidade, Passaporte ou Cédula Profissional); no caso de criança, levar ainda Certidão de Nascimento. No carimbo da vacina deve constar data, laboratório produtor, lote, vacinador e unidade que aplicou a vacina.
 
SINTOMAS - Conforme a OMS, uma vez contraído, o vírus da febre amarela mantém-se em incubação no corpo durante três a seis dias. Muitas pessoas não apresentam sintomas, mas, quando estes ocorrem, os mais comuns são febre, dores musculares (sobretudo nas costas), dores de cabeça, perda de apetite, náuseas ou vômitos. Na maioria dos casos, os sintomas desaparecem após três ou quatro dias.
 
Mas, ainda conforme a organização, uma baixa porcentagem de doentes entra numa segunda fase mais tóxica, no espaço de 24 horas. Após a recuperação dos sintomas iniciais, pode voltar a ter febre alta e, normalmente, o fígado e os rins são afetados. Nesta fase, é provável que as pessoas desenvolvam icterícia (amarelecimento da pele e dos olhos, daí o nome “febre amarela”), urina escura e dores abdominais com vômitos.
 
Na identificação de alguns desses sintomas, a orientação da pasta é procurar um médico da unidade de saúde mais próxima e informar se viajou nos últimos 15 dias.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar