Sexta-Feira, 21 de Janeiro de 2022

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< POLÍCIA Homicídios aumentam em Sorocaba; são 30 assassinatos em seis meses O ano está mais violento que 2015, que teve nove mortos a menos no mesmo período

Publicada em 27/07/2016 às 06:27
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
A cidade de Sorocaba registrou 30 homicídios no primeiro semestre deste ano. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública – SSP do Estado de São Paulo. Foram cinco vítimas em janeiro, sete em fevereiro, quatro em março, seis em abril, três em maio e cinco no mês passado. Em comparação com dados dos seis primeiro meses de 2015, houve aumento, foram 21 pessoas mortas – e durante todo o ano passado, 53 vítimas. Já 2014 foi um ano em que a violência explodiu em Sorocaba, com 60 vítimas de homicídio em seis meses.
 
A SSP categoriza seu banco de dados informando o número de homicídios dolosos incluindo vítimas de Homicídio Doloso por Acidente de Trânsito, o nome jurídico que se dá para pessoas mortas em acidentes com veículos, provocados intencionalmente. Os casos de homicídio na cidade ficam em sua grande maioria a cargo da Delegacia de Investigações Gerais – DIG de Sorocaba.
 
A cidade seguiu na contramão da tendência de outros municípios, de acordo com informações da própria secretaria. Regiões das cidades do interior de SP, em geral tiveram queda de homicídios dolosos no 1º semestre. A redução foi de 1,88%: o total de casos passou de 959, nos seis meses de 2015, para 941 no mesmo período de 2016. A soma é a segunda menor para o período, ficando atrás apenas do primeiro semestre de 2008.
 
QUEDA – Em junho houve queda de 8,39% do indicador, com 12 ocorrências a menos. O total do mês passou de 143 para 131. Para um mês de junho, a soma é a menor da série histórica. A região do interior paulista ainda apresentou queda de 2,52% no número de vítimas de homicídio doloso, no período de seis meses. O total passou de 993 para 968, ou seja, 25 vidas poupadas. A quantidade de casos é a segunda menor da série histórica, ficando atrás apenas de 2008.
 
Em junho houve redução de 10,14% no número de vítimas de homicídio doloso. A soma de vítimas passou de 148 para 133, ou seja, 15 vidas poupadas no mês. Com as variações apresentadas, as cidades do interior registraram nos últimos 12 meses (julho de 2015 a junho de 2016) taxas de 8,13 homicídios por 100 mil habitantes e de 8,38 pessoas mortas intencionalmente por grupo populacional.
 
Em todo o Estado de São Paulo, segundo a SSP, o número de ocorrências de homicídios dolosos caiu 10,6%, com 205 casos a menos. A quantidade baixou de 1.934, de janeiro a junho, para 1.729 em igual período deste ano. É o menor total já registrado em toda a série histórica, iniciada em 2001.
 
 
Homem foi morto
com tiro de espingarda 
 
Um dos últimos homicídios em Sorocaba foi exatamente um mês atrás. O vigilante Fabrício Lopes da Silva, 32 anos, foi assassinado a tiros na noite de domingo no Wanel Ville 4, zona oeste da cidade. Ele já tinha passagens criminais e os assassinos foram os motoristas de um uma caminhonete Mitsubishi Triton prata. Ninguém foi preso e o vigilante morreu na hora. Ele estava junto com uma mulher, que sofreu ferimentos nas mãos. A vítima já tinha passagem por tentativa de homicídio, de 2011, em Capela do Alto. O assassinato aconteceu na Rua Clementina de Jesus na esquina com a Lauro J. Francisco.
 
Outro caso de homicídio, esse sim o mais recente, deu-se em circunstâncias diversas do geral no mundo do crime. Vinte dias atrás, o técnico de enfermagem Antônio Carlos de Matos, 31 anos, foi morto pelo paciente psiquiátrico Márcio José Moreira, de 41, durante visita que era feita periodicamente à casa dele.
 
A vítima foi atingida por um golpe de faca e, socorrido ao PS do Hospital Regional, não resistiu aos ferimentos. Em razão de sua condição, Márcio é considerado inimputável, ou seja, não pode responder criminalmente aos seus atos. Mesmo assim, foi autuado por homicídio e encaminhado para a cadeia.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar