Segunda-Feira, 24 de Janeiro de 2022

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< POLÍCIA Relatório da PF revela relação da Andrade Gutierrez com Aécio Neves

Publicada em 12/07/2016 às 14:34
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
(Agência Brasil)
Em relatório anexado ao inquérito da empreiteira Andrade Gutierrez, a Polícia Federal analisou as informações contidas em celulares apreendidos com o ex-presidente da construtora Otávio Marques de Azevedo. No documento, a PF destaca conversas sobre valores destinados a uma associação presidida pela irmã do senador Aécio Neves, Andrea Neves, e troca de mensagens com Oswaldo Borges, ex-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais, e apontado como tesoureiro informal do tucano.
 
Aécio atualmente é alvo de dois inquéritos do Supremo Tribunal Federal (STF) no âmbito da operação Lava Jato. Em sua delação, Otavio Marques de Azevedo não delatou qualquer tipo de pagamento de propina ou fraudes praticadas em licitações à época que o tucano era governador de Minas Gerais.
 
As conversas com Borges são de agosto de 2014, em meio a campanha presidencial na qual Aécio Neves concorreu com a presidente afastada, Dilma Rousseff. Em 27 de agosto, Borges pergunta a Otávio se era possível "falar na quinta às 19h em SP"
 
Dois dias depois, Otavio responde: "Já foi feito". Borges agradece no mesmo dia: "Obrigado Otavio. Com vc funciona!!!rsrs"
 
As mensagens trocadas com o suposto tesoureiro informal de Aécio, segundo a PF, se deram no mesmo dia em que Azevedo confirmou doação para a campanha de Dilma Rousseff, por meio do chefe de gabinete do então tesoureiro da petista, Edinho Silva.
 
"Destacam-se mensagens de Otávio Marques e Oswaldo Borges da Costa e Otávio Marques (...) analisadas em conjunto pois é possível que estejam relacionadas à doações eleitorais", informa o relatório da PF. Ainda segundo o agente federal Di Bernardi, autor do relatório, as "mensagens aparentemente contradizem o Termos de Declaração de Otávio no tocante a forma como se davam as doações eleitorais".
 
"Observa-se que tanto na mensagem para Manoel Araujo como na mensagem para Oswaldo Borges, Otávio encaminha, praticamente no mesmo horário do dia 29/08/2014, a mensagem "Já foi feito", sendo que ambos agradecem. Informações em fontes abertas associam Oswaldo Borges da Costa Filho à Aécio Neves (seria genro do padrasto de Aécio)", completa o relatório.
 
Andrea Neves
 
Apontada como braço direito do senador, Andrea Neves aparece no relatório da Polícia Federal por ter presidido a associação civil Servas - Serviço Voluntário de Assistência Social. No dia 22 de novembro de 2012, Otávio Marques de Azevedo recebe mensagem de Jose Augusto Figueira, então suplente do conselho de administração da Oi e presidente da Oi Futuro.
 
Na mensagem, Figueira informa a Otávio que ele possui saldo de R$ 1,5 milhões e que "para o Servas". Além de apontar a existência da associação mineira, presidida entre 2003 e 2014 por Andrea Neves, a Polícia Federal salienta que dada a proximidade das datas é possível que o assunto Servas tenha relação com uma reunião realizada dois dias antes.
 
Essa reunião, conforme revelam mensagens analisadas pela PF, foi agenda no dois dias antes da conversa sobre o Servas. Em mensagem do dia 20, interlocutor identificado como Major Braga enviou a seguinte informação para o ex-presidente da Andrade Gutierrez: "Boa noite Dr Otávio! A pedido do Senador Aécio Neves preciso falar com o senhor! Obrigado, Major Braga".
 
Minutos depois, Major Braga envia outra mensagem: "Dr Otávio, Senador Aécio Neves pede para avisar que irá dormir na residência da mãe dele, Sra. Inês Maria. Reunião amanhã transferida para o endereço", diz a mensagem, citando o endereço
 
De acordo com a PF, mesmo após a troca do local do encontro, Otávio "confirma o recebimento" e diz que "estará lá no dia seguinte".
 
Defesas
 
A Assessoria de Aécio e Andrea Neves divulgou nota sobre o assunto. "As mensagens são autoexplicativas e trazem um conteúdo absolutamente correto, não apontando qualquer irregularidade. A troca de mensagens publicada pelo jornal, entre Oswaldo Costa e Otavio Azevedo, foi feita no mesmo dia 29 de agosto em que foi realizada uma doação da Andrade Gutierrez à campanha presidencial do PSDB de 2014, como consta da declaração feita a justiça eleitoral", diz o texto.
 
"Sobre a mensagem que cita o Serviço Voluntário da Assistência Social (Servas), trata-se de uma entidade criada há mais de 60 anos, vinculada ao governo de Minas. A entidade implanta e apoia programas sociais em todo o Estado e, para isso, ao longo de toda a sua história, conta com o apoio de doações de empresas privadas".
 
"A presidência da entidade é tradicionalmente exercida pelas primeiras damas do Estado, como ocorre em outras unidades da Federação. Durante os governos Aécio Neves e Anastasia, a entidade foi dirigida por Andrea Neves", finaliza a nota.
 
A assessoria da Andrade Gutierrez também se manifestou dizendo que a empresa "mantém o compromisso de colaborar com a Justiça" e que a companhia "tem feito propostas concretas para dar mais transparência e eficiência nas relações entre setores público e privado."
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar