Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

A obrigação de investir nas pessoas

Publicada em 13/08/2019 às 18:08
Compartilhe:

Por mais que as 'estatísticas' muitas vezes queiram mostrar um quadro mais ameno da violência e da criminalidade, o fato é que o drama da estupidez humana no Brasil, como o noticiário mostra diariamente, está cada vez mais sombrio, com as mortes violentas se multiplicando a todo instante. Claro que nem sempre aqueles que possuem carros blindados e segurança 24 horas por dia percebem o que está acontecendo, mas não se pode negar que as coisas vão de mal a pior, não poupando ninguém. Não passa dia sem que crianças, jovens e adultos sejam mortos sem mais nem menos pela fúria sanguinária de tantos criminosos. 
O que se constata é que a violência já não é algo exclusivo do Sudeste e do Sul do Brasil, mas de todas as regiões brasileiras, sem que as forças de segurança consigam fazer frente a tudo aquilo que acontece de pior. Apesar de todos terem conhecimento dos fatores responsáveis por tantas ocorrências lamentáveis, nada muda no País. A crise econômica, o desemprego, os baixos salários e os orçamentos negativos que comprometem os investimentos da União, dos Estados e municípios, só fazem aumentar os massacres que diariamente tomam conta das ruas de todo o Pais. O desencanto e a preocupação deixam a população cada vez mais alarmada. Por mais que se fale a respeito, persistem os ataques e a destruição de vidas, como se tudo fosse a coisa mais normal do mundo. 
Pode-se dizer que a violência e a criminalidade prejudicam cada vez mais a população. Não se deve falar apenas da eterna sensação de insegurança, da falta de tranquilidade para andar por vias públicas à noite ou de dia, mas também dos prejuízos que afetam diretamente a vida das pessoas. É o que vem acontecendo por todos os municípios brasileiros, seja eles grandes ou pequenos. Não raras vezes, depois de sofrerem tantas investidas criminosas, as agências bancárias estão optando por encerrar suas atividades, deixando a população sem acesso aos serviços que são prestados. Com isso, as pessoas são obrigadas a percorrer muitos quilômetros até outras cidades. O mesmo tem acontecido com as agências dos Correios. Há que se convir que essa não é a solução ideal para os bancos nem para a população e tampouco para o Estado, que acaba se distanciando ainda mais dos cidadãos e contribuintes.
Há que se enfatizar cada vez mais que o fortalecimento da segurança pública carece de um planejamento muito mais efetivo. Ações pontuais podem até atender aos anseios da população neste ou naquele momento, mas não vão reduzir os problemas como um todo. São necessários investimentos na estrutura policial, na formação dos policiais, no policiamento ostensivo e, principalmente, investimentos na educação, na saúde, na geração de empregos e na retirada das crianças das ruas.  
O Estado tem a obrigação de se aproximar de toda a sociedade e investir na qualidade de vida das pessoas com ações que promovam o seu bem-estar e desenvolvimento em todos os aspectos. Sem isso, o Brasil jamais será melhor.