Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

Rumos incertos

Publicada em 22/07/2019 às 19:08
Compartilhe:

Certamente, não se pode prever o dia de amanhä, mas tudo indica que, cedo ou tarde, em algum ponto do futuro, poderá não acabar bem a beligerância que o presidente Jair Bolsonaro não se cansa de manter com integrantes de seu governo e com inúmeros segmentos da sociedade brasileira. A cada dia que passa, sem mais nem menos, dispensando os rituais que o cargo de presidente da República exige, ele faz questão de provocar sérios atritos, não porque queira manter a arrogância no comando de tudo, mas porque não tem habilidade com as palavras, muitas vezes deixando de respeitar pessoas e profissionais competentes nas áreas em que atuam. Não raras vezes, sem conhecimento de causa, acaba gerando muitas desavenças sem qualquer necessidade.  
Nos últimos dias, por exemplo, como vem fazendo com frequência, entrou em rota de colisão com o presidente do INPE, Ricardo Magnus Osório Galvão, afirmando que os dados divulgados pelo órgão sobre desmatamentos na Amazônia não são verdadeiros. Bolsonaro citou que estaria intacto - e não devastado - um trecho de 213 quilômetros quadrados de floresta entre Boa Vista (Roraima) e Manaus. Como é que ele, por si só, sem qualquer fundamento, pode saber se foram corretos ou não os dados divulgados? Ao rebater Bolsonaro, o presidente do Inpe provou que a área realmente fora destruída, afirmando que Bolsonaro fez um ataque irresponsável e covarde aos profissionais do órgão. O presidente da República preferiu não responder aos ataques feitos por Osório Galvão.
Como sempre acontece em casos dessa natureza, a população brasileira é que se vê em meio a um tiroteio verbal sem saber exatamente o que está acontecendo e quem está com a razão. É preciso, portanto, que o presidente e todos aqueles que são protagonistas da dura realidade brasileira possam ter consciência sobre tudo aquilo que é importante para o Brasil avançar em busca do melhor para todos. Sabe-se que o tempo perdido com inconsequências sem fim jamais será recuperado. 
O que se observa é a incoerência de Bolsonaro em muitos casos, já que ele, ao tentar mostrar humildade, acaba não tendo sensibilidade para evitar desavenças inoportunas. Enquanto isso, não se vê nada de melhor, já que a economia está na pior, o desemprego é apavorante, o salário mínimo uma ninharia e a segurança da sociedade está do jeito que a bandidagem gosta. O que falta é o presidente da República se preocupar mais com o Brasil e menos com seus familiares. Tudo isso poderá levar a uma situação insustentável num futuro não muito distante.