Sexta-Feira, 19 de Julho de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

Cutucando onça com vara curta

Publicada em 17/06/2019 às 17:07
Compartilhe:

Em meio a tantas ações políticas desconcertantes que prosperam por todos os lados, o que falta é o Brasil restabelecer o quanto antes as condições de governabilidade, capazes de permitir a saída de uma crise que tem razões éticas e que corrói a economia há mais de 15 anos. E se não for consumada até julho pelo menos uma parte da reforma previdenciária que se pretende, o País ingressará em um novo tempo sem uma perspectiva de solução que entrava a economia e a retomada do desenvolvimento. Não há como negar que o Brasil precisa sair do lugar comum e realmente andar como se deve.  
Por isso mesmo, não há uma razão plausível para a greve sem pé nem cabeça idealizada na sexta-feira passada (14) pelas centrais sindicais contra a reforma da Previdência, já que sem ela e outras mais a Nação não sairá tão cedo do sufoco em que se encontra. Como ocorreu em Sorocaba, a paralisação do transporte coletivo urbano, que não reivindicava nenhuma melhoria para a categoria, já que seus trabalhadores têm os maiores salários do País, só contribuiu para piorar tudo ainda mais, atazanando de todas as formas a vida da população. 
Em todo o Brasil verificou-se claramente que os sindicalistas só conseguem atingir seus objetivos na base da violência, paralisando os motoristas de ônibus, queimando pneus, bloqueando vias, colocando pregos em muitas ruas, promovendo pressão física sobre pessoas e impedindo que elas tenham livre locomoção, ou seja, o direito de ir e vir, exatamente como estabelece a Constituição brasileira. Sem mais nem menos, o direito de quem precisa trabalhar é desrespeitado pela violência de uns poucos que não trabalham e são pagos para infernizar a vida da população ordeira. 
No cenário atual, marcado por um antagonismo radicalizado, a própria sociedade não consegue mais preservar o diálogo necessário para encontrar saídas. O Brasil precisa dispor de uma alternativa] pacífica e democrática, que permita ao setor produtivo voltar a se programar com um mínimo de segurança, retomando os investimentos nos níveis necessários para reduzir a recessão e o desemprego. E isso não será possível conseguir com a violência promovida através de greves que não têm razão de ser e só prejudicam os brasileiros em geral.  
Todos precisam entender que truculência não resolve os problemas e não contribui para melhorar coisa alguma. Mais do que ninguém, os brasileiros de bom senso sabem que ficar cutucando onça com vara curta não é bom para ninguém.