Segunda-Feira, 17 de Dezembro de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

Um mal a ser combatido

Publicada em 11/10/2018 às 00:12
Compartilhe:

Em meio à movimentação da corrida eleitoral deste ano, acabou passando um tanto quanto despercebida a notícia de que a Secretaria de Saúde da Prefeitura, com o objetivo de conscientizar e sensibilizar a população, promoveu um primeiro encontro para apresentar os trabalhos elaborados pela Zoonoses para combater daqui para frente o mosquito Aedes aegypti no município. Nesta época de chuvas e com a aproximação do verão, todos devem ficar atentos a esse tipo de problema, quando as larvas do mosquito começam a provocar a dengue, a chikungunya, a zika e a febre amarela. 
Levando-se em conta todos os males que acabam sendo transmitidos pelo mosquito, tudo sempre exige providências efetivas dos serviços públicos de saúde para evitar que o problema saia do controle das autoridades sanitárias. Sabe-se que a prevenção das doenças não é fácil, já que muitas vezes a proliferação do Aedes ocorre de forma ampla, especialmente quando os focos de água parada se multiplicam, como agora com as chuvas dos últimos dias. Como sempre alerta o Ministério da Saúde, o monitoramento do mosquito é complexo nos ambientes urbanos, daí a razão de exigir programas permanentes dos poderes públicos, compreendendo desde ações educativas até a fiscalização efetiva dos imóveis, com equipes preparadas para identificar situações de risco.                     Dentro de todo esse contexto, é preciso ressaltar que o sucesso das medidas colocadas em prática depende, na realidade, da participação e adesão das pessoas em suas casas e em todos os locais onde atuam ou trabalham. Não se pode esquecer, por exemplo, do clássico problema dos imóveis vazios, onde o controle fica ainda mais problemático. Tudo isso, no entanto, não deve servir como motivo de esmorecimento. Ao contrário, deve ser encarado como um desafio a ser vencido através de um trabalho desenvolvido o ano todo.
É importante destacar que a dengue é uma doença insidiosa, que, quando menos se espera, volta com força. Neste momento, por exemplo, com a volta das chuvas - e com elas as ameaças da água parada -, o mosquito deve ser enfrentado e combatido de maneira mais intensa, daí as providências que já estão sendo tomadas pelo poder público. 
Não é de hoje que se fala sobre estudos que estão sendo feitos para a descoberta de uma vacina contra a dengue. Desenvolvida pelo Instituto Butantã, de São Paulo, em parceria com um instituto dos Estados Unidos, os testes foram iniciados em 2014. E é evidente que, se for aprovada, será a solução definitiva contra o problema. Entretanto, enquanto a vacina não existir, a prevenção e o combate são absolutamente essenciais para evitar que o problema seja ainda pior.