Quarta-Feira, 23 de Outubro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

A devastação do planeta

Publicada em 09/10/2019 às 19:10
Compartilhe:

Hoje em dia todos têm muito mais consciência a respeito das mudanças climáticas que já estão tornando vastas áreas do planeta em solo inadequado para a habitação humana e inapropriado para o cultivo. Apesar de muitos não levarem em conta os padrões regulares do clima em todas as partes do mundo, o fato é que eles vão dando sinais de que estão se alterando cada vez mais. De forma adicional, a maior parte das economias do mundo está se tornando menos autossuficiente, e isto, de alguma maneira, está ligado à redução mundial das reservas de alimentos. Sabe-se, por exemplo, que a água potável disponível não  é sequer suficiente para metade da população mundial.
Por outro lado, em diversas partes do planeta, a violência e o terrorismo tornaram-se o modo mais rápido de se resolver conflitos. Todos tentam lutar contra a pobreza, o terrorismo, a degradação ambiental, as doenças e outros problemas da civilização com as mesmos meios que foram utilizados para produzir o que hoje existe de pior à volta de cada pessoa. Não há, como se percebe com o andar da carruagem, a necessária vontade nem uma visão mais ampla para se criar uma mudança fundamental e duradoura. O que se observa, quando muito, é cada país procurando resolver questões que são de responsabilidade de todos. 
Antes de mais nada é preciso entender que, quanto mais absurdos são praticados contra a natureza, mais ela continuará se indispondo contra tudo e contra todos, com a humanidade sendo agredida por terremotos, furacões, doenças, terrorismo e todas as adversidades que vão desafiando os novos tempos das civilizações. É preciso lembrar que todos estão conectados, dependendo uns dos outros, embora seja fácil perceber que ninguém caminha de mãos dadas para um futuro promissor. É em razão de tudo isso que cada vez mais a devastação vai tomando conta do planeta. Resta saber o que a humanidade pensa a respeito de tudo isso.  
Já é tempo, portanto, de se buscar o entendimento e de ser tomada firme decisão política, envolvendo permanente esforço de conscientização da coletividade mundial no tocante a tudo aquilo que é de fundamental importância para as futuras gerações. Atualmente, o que falta, mais do que nunca, é tornar a tecnologia uma aliada do meio ambiente, viabilizando e contribuindo de forma decisiva para o bem dos mercados econômicos e das comunidades em geral.