Sábado, 16 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

Delitos que preocupam cada vez mais

Publicada em 20/09/2019 às 19:11
Compartilhe:

Não há como negar que em Estados como Rio de Janeiro e São Paulo, entre outros, as polícias Militar e Civil têm convivido com um problema que, a primeiro julgamento popular, jamais poderia ocorrer: crimes de homicídios praticados por integrantes das duas corporações contra cidadãos que nada devem à lei e até contra crianças e pessoas idosas. Como não poderia deixar de ser diante de tantas tragédias levadas a efeito, a frequência dos delitos têm preocupado cada vez mais a sociedade e causando indignação às pessoas, a ponto de elas até evitarem a presença de policiais. Naturalmente, isso ainda não ocorre de maneira mais sistemática no interior dos Estados, mas, nas capitais, a incidência dos desatinos é grande. E todos sabem que, a priori, toda vez que se afasta um policial, o que se verifica é a aproximação de um ou mais marginais, que procuram sempre ocupar os espaços onde a polícia está ausente. 
Nosso objetivo não é defender os crimes praticados por policiais nem mesmo fazer a apologia à violência, até porque este jornal sempre parte da premissa de que não há justificativa para qualquer tipo de crime. Porém, é necessário que se analise a situação de maneira mais pragmática para tentar descobrir por que essas ocorrências estão se multiplicando. Urge tomar medidas saneadoras para poder evitar, mais tarde, que outros crimes semelhantes aconteçam.
Antes de mais nada, é preciso achar uma resposta satisfatória para esta pergunta: está o policial amplamente habilitado a portar e usar uma arma de fogo em toda e qualquer situação? Para se obter uma respostas razoável é preciso analisar a vida do policial. E é nessa hora que aparecem os fatores que o faz exorbitar na missão de defender a população e não de agredi-la. 
Em primeiro lugar é preciso saber se o salário pago ao policial é razoável para quem se vê obrigado a enfrentar diariamente tantas pressões decorrentes do trabalho ou se é a origem de quase todos os fatores da ocorrência dos crimes. Muitas vezes, em razão de não ganhar o suficiente, é que ele acaba se vendo na contingência de arranjar uma ocupação extra para garantir sua subsistência e a de sua família. Como via de regra enfrenta problemas financeiros, também se vê obrigado a morar em favelas ou bairros dominados pelos marginais, onde fica mais acessível à corrupção ou a se expor, ele e sua família, à sanha dos fora da lei. Todo mundo sabe que não são poucos os policiais em geral que se veem obrigados a esconder a farda, sob pena de serem executados. 
Todos esses detalhes é que precisam ser analisados de maneira ampla para que se possa entender melhor os problemas com os quais o policial é obrigado a conviver o tempo todo. O que não pode é ninguém se incomodar com um tema de suma importância, deixando-se de lado o senso de justiça e de humanidade.