Segunda-Feira, 10 de Dezembro de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< Mostra homenageia Ettore Marangoni e seus registros históricos de Votorantim Obras restauradas do artista plástico preservam a memória e a história da cidade

Publicada em 02/12/2014 às 01:12
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

O olhar de historiador do artista plástico Ettore Marangoni captou assim o Bairro da Chave em 1922 (Foto: Secom/PMV)
51 ANOS DE EMANCIPAÇÃO
 
Um dos destaques da programação comemorativa pelo 51º aniversário de emancipação político-administrativa de Votorantim é a Exposição "Marangoni - Registros de Votorantim e Outras Histórias", que será aberta ao público nesta terça-feira (2), no Aquário Cultura, às 20 horas. Telas e estudos gráficos do pintor foram selecionados para apresentar aos visitantes a riqueza de sua obra, técnicas utilizadas e traços emblemáticos de sua carreira. O destaque fica para telas especialmente dedicadas a Votorantim, onde também residiu, e que representam importantes registros históricos e culturais do Município.
 
Ettore Marangoni (1907/1992) nasceu na Suíça, veio para ao Brasil com 8 anos de idade e, aos 12, passou a residir em Votorantim, então distrito industrial de Sorocaba. Trabalhou anos a fio com fotogravuras para os tecidos da Companhia Nacional de Estamparia (Cianê). Sua obra é reconhecida e premiada, tendo forte ligação com a identidade da região e potencial de preservar a memória e a história.
 
Assim, de 3 a 23 de dezembro, o público está convidado a conhecer mais sobre o perfil artístico do pintor, suas técnicas, os estudos gráficos que fazia antes de criar uma tela e obras exclusivas que retratam momentos importantes da história de Votorantim. O horário para visitação será das 12 às 22 horas, diariamente, inclusive sábados e domingos, com entrada gratuita. A cerimônia de abertura da exposição, hoje à noite, também terá, por outro lado, uma homenagem ao professor votorantinense Claudir Caixto Mainardi, que passará a denominar o Aquário Cultura, localizado na esquina entre as avenidas 31 de Março e Moacir Oseias Guitte, ao lado da Praça de Eventos "Lecy de Campos".
 
RECUPERAÇÃO DO ACERVO - A Exposição "Marangoni - Registros de Votorantim e Outras Histórias" apresentará ao público pela primeira vez todas as 21 telas do ilustre artista plástico, referencial para a iconografia histórica da vizinha cidade, mas também e principalmente para Sorocaba, que fazem parte do acervo do Museu Histórico Municipal votorantinense após restauração realizada pela Secretaria da Cultura, Turismo e Lazer da Prefeitura local. As obras foram adquiridas do próprio artista, no ano de 1988, com o objetivo de proteger e manter unido o conjunto de pinturas dedicado por ele à cidade. "Naquela ocasião, procuramos garantir que esses trabalhos não se espalhassem, proporcionando que Votorantim tivesse preservados seus registros. Existem situações retratadas por Marangoni com elevado valor histórico e uma cidade precisa manter suas memórias", explica o prefeito Erinaldo Alves da Silva, cuja Administração patrocinou a aquisição na ocasião.
 
Apesar dessa iniciativa e de nenhuma obra ter se perdido em 26 anos, tais telas não vinham sendo, porém, tratadas com o devido valor, segundo a própria Prefeitura de Votorantim reconhece. Parte das telas estava exposta no Museu Municipal, sem, contudo, o prestígio merecido, algumas inclusive sem qualquer identificação. Outros exemplares estavam em depósitos, longe dos olhos do público. Durante uma catalogação e inventário do acervo do Museu, feita no ano passado, conforme explica Wesley Carlos da Silva, chefe de Projetos e Acervo Histórico da Secretaria da Cultura, peças foram encontradas com molduras carunchadas, algumas com rachaduras na tela e outros problemas de conservação que colocavam em risco a manutenção desse patrimônio.
 
Foi feita, então, uma restauração completa dos 21 quadros catalogados por empresa especializada, que realizou a padronização das molduras em estilo clássico e madeira tratada, troca da estrutura de apoio (chassi) e identificação das obras quanto à técnica utilizada e estilo artístico. Para a exposição, a família de Marangoni foi procurada e colaborou emprestando cinco outros quadros importantes na história do pintor e também 21 estudos gráficos. Os desenhos eram feitos a lápis ou bico de pena e funcionavam como um esboço antes de transformar a ideia em quadro. Alguns desses estudos são correspondentes às obras que retratam Votorantim.
 
OBRAS DE VOTORANTIM EM DESTAQUE - Entre os destaques da Exposição, estarão as telas que reproduzem na visão de Marangoni momentos históricos da cidade como "Primeira Missa de Votorantim", pintada em 1973, em referência à celebração que ocorreu em 1917, e "Dom Pedro II visita a Cachoeira da Chave", acontecimento do ano de 1886 que originou a tela em 1991, um ano antes do falecimento do pintor. Outra peça que chama a atenção e tem um valor histórico proporcional à sua exuberância é o quadro intitulado "Desmembramento", que tem 3,8 metros de largura e registra a linha do tempo desde o período colonial até a separação de Votorantim da cidade de Sorocaba, em 1963. A pintura data de 1969.
 
Há também quadros e estudos sobre o bairro de Santa Helena, Capela da Penha, Cachoeira da Chave, bairro da Barra Funda, Capela do Coração de Jesus e Capela de Nossa Senhora do Pópulo, entre várias outras. O "1º Matadouro de Votorantim", registro de 1917, pintado em 1989, possui as duas peças, tanto o estudo, com o primeiro desenho, quanto a tela. A obra mostra os bois no cercado, sendo observados pelos trabalhadores e também por urubus. 
 
Wesley explica, aliás, que nem todos os estudos gráficos de Marangoni geraram telas e alguns não são inspirados na região. Dentre esses, a exposição terá o estudo "Bandeirantes - No Desbravamento dos Sertões - Brasil", de 1948. "A peça deve ser observada com cuidado e sem pressa. Além dos elementos principais, observados ao primeiro olhar, que são os bandeirantes adentrando a uma mata, o olhar mais apurado revela detalhes que pareciam ocultos nas copas das árvores e nos inúmeros traços feitos à tinta, com bico de pena. São índios sobre as árvores e outros componentes que vamos observando à medida que exploramos o desenho", destaca o chefe de Projetos e Acervo Histórico de Votorantim.
 
Todo esse conjunto foi reunido com a colaboração especial do neto de Ettore Marangoni, Lawrence Marangoni Hein, que aceitou o convite da Prefeitura e contribuiu fornecendo informações, a biografia do avô e também selecionando as peças que ajudarão a compreender o universo artístico das obras e da carreira do artista.
 
Para o titular da Secretaria da Cultura, Turismo e Lazer, Marcelo Domingues, antes mesmo de começar, a mostra já tem sido motivo de satisfação e orgulho. Ele não esconde, aliás, a expectativa de ver o público prestigiando o resultado de todo esse trabalho: "São várias pessoas envolvidas, um trabalho de extrema responsabilidade e compromisso com a preservação desse patrimônio. Mais do que obras de arte, estamos lidando com a memória de uma cidade, de uma região, além de importantes registros sobre a cultura do seu povo. São vários resgates em um só projeto e convidamos todos a prestigiar", finalizou.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar