Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< EDITORIAL As longas ruas da amargura

Publicada em 06/04/2021 às 17:23
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Por mais que exista no ar uma sensação de incertezas, desorientação, decepção geral e tristeza que se alastra em razão de tudo aquilo que vem atingindo tantas vidas preciosas por conta da devastação imposta há mais de um ano pelo novo coronavírus, o que se constata é que as previsões continuam sendo das piores também para este mês de abril, quando a pandemia, segundo os especialistas, deverá provocar mais de 4 mil mortes por dia no Brasil, o que não deixa de ser algo implacável contra os brasileiros em geral. Quando a tragédia se mostra tão mortífera como essa, o Brasil nunca sabe exatamente o que fazer e sempre acaba se posicionando nas últimas posições na corrida travada contra um mal que não para de mostrar a sua força. Governantes e políticos sempre querem aparecer uns mais que os outros e a população é que acaba levando a pior.                  

O fato é que, por falta de vacinas, da colaboração de grandes parcelas da população e das dificuldades para que a economia possa se recuperar o quanto antes, contribuindo para apagar todo o tempo perdido com tanto desemprego no Brasil, a tendência é tudo continuar na mesma, sem que o governo tenha condições de amparar como se deve as famílias mais vulneráveis que já começam a ficar entregues ao deus-dará do mapa da fome, apesar da liberação de mais um auxílio emergencial a partir de ontem (6). Para se ter uma ideia, 7 em cada 10 famílias no País não conseguem comprar comida, necessitando contar com o auxílio da população.

"Apesar da liberação de mais um auxílio de emergência, as longas e perigosas ruas da amargura de todo o Brasil vão continuar superlotadas de gente lutando para sobreviver com um pouco mais de dignidade"

Por tudo o que vem acontecendo, não é difícil imaginar como será tenebroso o futuro de grandes contingentes de brasileiros nos próximos anos. As longas e perigosas ruas da amargura existentes pelo Brasil afora vão ficar cada vez mais superlotadas de gente sem saber exatamente o que fazer para sobreviver com alguma dignidade. Infelizmente, em 2020, os governantes e políticos não tiveram competência de fazer tudo aquilo que era necessário para que o País pudesse vencer a violência da pandemia neste 2021.                   

Do jeito que as coisas estão, tudo está a mostrar que a terra brasileira ainda haverá de se alargar muito mais para receber tantas pessoas desassistidas. Enquanto as vacinas, as máscaras e a distância que devem prevalecer entre a população não forem vistas como prioridades absolutas, nada de melhor vai acontecer para conter a tragédia que esse mal vem causando a todos. É de se lamentar, de acordo com as previsões, que só no final do ano é que o Brasil poderá ter cerca de 50 milhões de pessoas imunizadas, o que não deixa de ser um número ainda bem inferior ao que se espera. Todo mundo precisa ter mais consciência e responsabilidade, fazendo o que lhe cabe para que as coisas não piorem muito mais.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar