Terça-Feira, 19 de Janeiro de 2021

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< SAÚDE Estado confirma dois casos da variante do Coronavírus identificada no Reino Unido Ainda não se sabe se variante inglesa é mais transmissível

Publicada em 04/01/2021 às 19:28
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
A confirmação deu-se pelo Laboratório Instituto Adolfo Lutz (Foto: Agência Brasil)
Os dois primeiros casos no Brasil da variante do novo Coronavírus identificado no fim de 2020 no Reino Unidos foram registrados no Estado de São Paulo. A confirmação deu-se pelo Laboratório Estratégico do Instituto Adolfo Lutz, vinculado à Secretaria de Estado da Saúde, após sequenciamento genético de amostras encaminhadas pelo laboratório privado Dasa no sábado (2). Uma das pessoas com essa nova variante do vírus trata-se de uma mulher de 25 anos que mora em São Paulo e se infectou após ter contato com viajantes que passaram pelo território britânico. 
Já a outra é um homem de 34 anos, também da Capital paulista, que teve contato com ela. A apuração epidemiológica sobre os dois casos está em andamento e, por isso não há mais detalhes sobre o quadro clínico e sintomas apresentados pelos pacientes. Ainda não há comprovação científica de que esta variante inglesa encontrada no Brasil é mais virulenta ou transmissível em comparação a outras previamente identificadas – o comportamento de um vírus pode ser diferente em locais distintos por causa de fatores demográficos e climáticos.
 
VACINA - Em nova reunião com representantes da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reforçou nesta segunda-feira (4) o pedido de mais informações para liberar a autorização emergencial do uso das doses da vacina contra a Covid-19 que serão importadas do Serum Institute of India, que produz o imunizante da Oxford e AstraZeneca na Índia. Lá, o uso emergencial já foi aprovado. No dia 31 de dezembro de 2020, a Anvisa autorizou a importação, em caráter excepcional, de 2 milhões de doses da vacina britânica da Oxford, produzida em parceria com a Fiocruz.
Em nota, a agência reguladora informa que fez, na manhã desta segunda-feira, uma reunião para tratar da submissão do protocolo do uso emergencial das doses da vacina. Na reunião, representantes da Fiocruz apresentaram os dados já de posse da fundação. Na ocasião, a agência reguladora listou informações, ainda aguardadas pela Fiocruz, que são necessárias para que esta possa pedir autorização para uso emergencial da vacina no Brasil. “Na reunião, a Fiocruz mostrou que está empenhada para que essas informações sejam reunidas e apresentadas à Anvisa com a maior brevidade”, diz a nota.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar