Sábado, 10 de Abril de 2021

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< BRASIL Com pandemia, expectativa de vida deve registrar queda

Publicada em 29/12/2020 às 22:55
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
(Foto: Agência Brasil)
A expectativa de vida do brasileiro ao nascer deve cair em até dois anos por conta das mais de 190 mil mortes pelo novo Coronavírus. Será a primeira queda desse indicador registrada no Brasil desde 1940, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

De acordo com especialistas da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), a pandemia deve reverter a tendência observada nas décadas passadas. O brasileiro perderá pelo menos um ano de expectativa de vida, podendo chegar a até dois anos. 
A expectativa do brasileiro ao nascer, em 1940, era muito baixa, de 45,5 anos. Com a redução da mortalidade infantil e os avanços na Medicina, o número vem crescendo de forma consistente. Em 1980 chegou a 62,5 e, em 2000, a 69,8. Nos últimos 20 anos, os ganhos foram um pouco mais lentos, mas não se registrou decréscimo. 

Na pandemia, 75% da letalidade concentram-se entre idosos. Em geral, os óbitos de crianças e jovens têm um impacto muito maior na expectativa de vida média da população do que entre os mais velhos. Outro retrocesso que deve se perpetuar, segundo especialistas, diz respeito à Educação. 
A desigualdade educacional que vinha caindo há pelo menos 40 anos voltou a subir durante a pandemia, por conta das dificuldades de muitos alunos, sobretudo os mais pobres, para estudar. Entre os mais jovens de 6 a 15 anos, a média de estudo durante a pandemia foi de duas horas e dezoito minutos, muito abaixo das quatro horas mínimas. 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar