Sábado, 10 de Abril de 2021

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< BRASIL Justiça do Rio afasta Crivella Presidente da Câmara completará mandato, que termina no dia 31

Publicada em 22/12/2020 às 21:11
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
(Foto: Agência Brasil)
A desembargadora Rosa Helena Penna Macedo Guita suspendeu nesta terça-feira (22) o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, do exercício da função. O mandato de Crivella terminaria no próximo dia 31. A decisão está no despacho em que a magistrada acatou denúncia do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e decretou prisão preventiva de sete denunciados em um desdobramento da “Operação Hades”, que apura corrupção na Prefeitura e tem como base a delação do doleiro Sérgio Mizrahy. Foram presos mais cinco acusados de envolvimento no esquema.

O ex-senador Eduardo Lopes não foi encontrado no endereço no Rio. Segundo a desembargadora, o afastamento do prefeito foi determinado com base no Artigo 319, Inciso VI do Código de Processo Penal. Conforme o despacho, o esquema de corrupção apontado na operação, que teve desdobramento com a prisão dos denunciados, intensificou-se na campanha de Crivella à Prefeitura em 2016. Na ocasião, diz a magistrada, um dos empresários denunciados pediu que o doleiro providenciasse contas bancárias pelas quais pudesse receber quantias em espécie.

De acordo com Rosa Helena, depois de Marcelo Crivella ser eleito, o empresário passou a ocupar uma sala na sede da Riotur, empresa municipal de turismo, mesmo sem exercer qualquer cargo público. O doleiro Sérgio Mizrahy disse que esteve no local diversas vezes para entregar ao empresário dinheiro em espécie, oriundo de operações de troca de cheques resultantes da cobrança de taxa de serviço. Na denúncia, o Ministério Público ressalta que, embora Crivella não tenha sido reeleito, o que resulta na perda de foro especial por prerrogativa de função e cessação da competência.

De acordo com o MPRJ, as investigações começaram com a instauração do inquérito policial em decorrência do acordo de colaboração firmado com Sérgio Mizrahy, preso preventivamente no âmbito da “Operação Câmbio, Desligo”. Tal operação foi deflagrada pela força-tarefa da “Lava Jato” no Rio no dia 3 de maio de 2018, como desdobramento das operações “Calicute” e “Eficiência”, em que foram apuradas denúncias de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, cartel e fraudes em licitações pela organização criminosa liderada pelo ex-governador Sérgio Cabral.

SUBSTITUTO - Como o vice-prefeito, Fernando Mac Dowell, morreu em maio de 2018, o cargo de prefeito será ocupado pelo presidente da Câmara de Vereadores, Jorge Felippe, que, em nota, afirmou que a cidade não ficará sem comando nos últimos dias da atual gestão. Em sua primeira ação, Felippe marcou uma reunião para dar instruções à equipe municipal de modo que se mantenha a máquina pública “a pleno vapor”. Ele afirmou que a equipe trabalhará com afinco e dedicação até o último dia e que já conversou com o prefeito eleito, Eduardo Paes.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar