Quinta-Feira, 28 de Janeiro de 2021

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< SOROCABA Para os próximos quatro anos... Eleito neste segundo turno prefeito de Sorocaba, Rodrigo Manga detalha projetos para o mandato

Publicada em 29/11/2020 às 23:37
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
(Foto: Germano Schonfelder)

Candidato eleito neste domingo (29) à Prefeitura de Sorocaba, no segundo turno, Rodrigo Manga (Republicanos) apresentou uma série de propostas durante sua campanha eleitoral. Em entrevista ao DIÁRIO, ele conta seus planos para os próximos quatro anos, nas mais diferentes áreas que envolvem a administração da cidade.

 

Com passagem pela Câmara Municipal, você tem conhecimento quanto à necessidade do diálogo. Como será sua interlocução com o Legislativo?

Com certeza, será a melhor possível. Primeiramente, nossa coligação pode formar uma base consistente na Câmara, com oito vereadores, cinco deles do Republicanos. Além disso, sempre tive diálogo com vereadores de outras siglas, e meu propósito, acima de tudo, é fazer o melhor pela cidade de Sorocaba. Portanto, acredito que quem estiver disposto a trabalhar pelo povo sorocabano estará disposto também a ouvir as melhores propostas, seja do Legislativo, seja do Executivo. A minha vontade, pelo bem da cidade, é fazer um governo de diálogo e conciliação, com foco na solução de problemas e no bem-estar da população.

Com uma bancada considerável na Câmara, acredita que projetos passarão com mais facilidade?

Ter uma bancada aliada forte na Câmara é, de fato, um ponto importante a nosso favor; porque significa que teremos, no Legislativo, pessoas com afinidade com o nosso pensamento e semelhança de propósitos, defendendo valores, como a liberdade econômica, a família e, principalmente, buscando o desenvolvimento da cidade e a melhoria dos serviços públicos prestados aos cidadãos. Além disso, sempre tivemos um bom diálogo com vereadores de todas as legendas.

Como vai lidar com as Secretarias Municipais? Pretende criar novas ou cortar alguma? 

Sorocaba precisa de mudanças, e a maior parte da população sorocabana deixou isso claro nas urnas, durante o primeiro turno, quando cerca de 80% dos eleitores votaram contra a continuidade da atual gestão. Meu Plano de Governo prevê mudanças em praticamente todos os setores da gestão pública. E posso garantir que o secretariado que vou compor será extremamente técnico, formado por pessoas com a melhor competência em cada função. Inclusive, quebrando com a antiga forma de fazer política; em meu governo, não haverá loteamento de cargos. A coligação formada para a nossa campanha à Prefeitura não envolveu nenhuma troca de favor nesse sentido. Portanto, eu me sinto livre para escolher os melhores nomes para cada cargo. 

A pandemia do novo Coronavírus é uma realidade. Como essa questão será trabalhada no seu governo?

Não só a questão da pandemia, mas toda a saúde será prioridade em meu governo. Precisamos tratar a pandemia, porém sem deixar de lado as outras demandas da área. Não podemos fazer, por exemplo, como foi feito na atual gestão, quando as pessoas procuravam atendimento médico para outras doenças, muitas vezes graves, e não recebiam atendimento nas UBSs. Isso é um absurdo! Primeiramente, vamos realizar mutirões para zerar as filas de consultas, exames e cirurgias, que é uma das principais queixas da população. Isso será feito no mesmo modelo do que já foi feito na cidade de São Paulo, com a parceria do Hospital Albert Einstein. Esses atendimentos vão desafogar a demanda na Policlínica e nas UPHs e evitar que novas filas aconteçam. Também vamos estender o horário de atendimento nas UBSs, que ficarão abertas até as 22 horas e três delas serão transformadas em PAs 24 horas, a do Júlio de Mesquita, Parque São Bento e Aparecidinha, uma vez que isso já foi feito na do Carandá, atendendo a um pedido nosso.

Em sua campanha, você citou a questão de manter a economia, assim como fez durante sua passagem pela Câmara. Como será esse método econômico?

Quando fui presidente da Câmara, por dois anos, consegui uma economia recorde de cerca de R$ 20 milhões. Acredito que, na Prefeitura, essa economia possa ser ainda maior. Uma das primeiras providências para isso será a revisão de contratos e a readequação de tudo que for necessário. Também é preciso levar em conta que a atual gestão acabou perdendo mais de R$ 40 milhões de verbas do governo federal já destinadas pelos ministérios por não apresentar projeto ou apresentar de forma irregular. Em uma gestão eficiente, não deixaremos que isso aconteça. Além disso, vou criar iniciativas para atrair mais empresas e investimentos para o nosso município. Uma delas será a criação do CAD (Centro de Aceleração do Desenvolvimento), um laboratório de projetos e captação de recursos, tanto das diferentes esferas do governo, quanto da iniciativa privada. Ou seja, vou me empenhar, por um lado, em diminuir os gastos e, por outro, em atrair mais receita para o nosso município.

Qual sua opinião quanto à privatização na Saúde? 

Meu Plano de Governo não prevê nenhum tipo de privatização em nenhuma área. O que pretendo fazer é usar um modelo de gestão que já existe, não estou inventando a roda, que é o da parceria público-privada. Essa é uma modalidade já aplicada com muito sucesso em outras cidades e que pretendo utilizar, com a máxima eficiência, também aqui em Sorocaba. Isso trará benefícios para todos os envolvidos. Para a Prefeitura, que conseguirá ampliar os serviços, sem aumento de gastos; para a empresa que atuar nessas parcerias, porque será remunerada pelo trabalho oferecido, e para a população, que terá mais agilidade, qualidade e eficiência nos serviços prestados. Ao mesmo tempo, os funcionários públicos que já atuam nas diferentes áreas, como na Saúde, terão assegurados seus empregos e se beneficiarão com o desafogamento da demanda de trabalho. E, ainda, vamos investir tanto na capacitação contínua dos servidores, quanto em sua valorização, como profissão qualificada e de extrema importância para o município.

A Santa Casa de Misericórdia tem ganhado destaque quanto à qualidade no atendimento. Qual será o espaço que este hospital terá em seu governo?

É inegável a importância dos serviços prestados pela Santa Casa e o seu impacto positivo na saúde pública de Sorocaba. Embora seja uma instituição filantrópica independente, a Santa Casa já é reconhecida pela população como se fosse o hospital municipal da cidade. Eu vou continuar valorizando e ampliar esse trabalho. O Padre Flávio, que vem se destacando como um excelente gestor, pode contar sempre com o meu apoio e a minha parceria.

Sede de Região Metropolitana, Sorocaba tem de se preocupar com municípios ao redor. Como será o diálogo com as prefeituras da região?

Esse é um ponto muito relevante. Sorocaba é sede da Região Metropolitana e precisa se projetar como tal. É necessário que haja desenvolvimento novamente em nossa cidade, criando um ambiente propício para a atração de novas empresas e dando condições para que as atuais permaneçam e possam crescer. Na área do desenvolvimento econômico, vamos nos basear em um tripé: desburocratização, oferta de incentivos fiscais e capacitação profissional. O objetivo final é aumentar a oferta de empregos, gerar renda e estimular a nossa economia.

A pandemia tem impactado diretamente a Economia, particularmente o comércio. Como será a relação do seu governo com os comerciantes?

Será a melhor possível. Em minha vida pública como vereador, essa é uma classe de cidadãos e trabalhadores pela qual eu venho lutando há muitos anos. Desde o ambulante informal até os grandes comércios. Vou continuar com essa bandeira, fazendo tudo o que estiver ao meu alcance para que esse setor progrida. A pandemia, de fato, causou muitos prejuízos, mas eu sei que isso poderia ter sido amenizado se a Prefeitura tivesse outra postura, fazendo um planejamento inteligente para o comércio, com responsabilidade, adotando as medidas sanitárias necessárias, mas sem impor restrições e dificuldades que levaram à quebra de muitos negócios. 

Ao longo dos anos, várias propostas relacionadas ao transporte surgiram, como construção de nova rodoviária e implantação de VLT. Qual a principal mudança que seu governo pretende nessa área?

Vimos que, até agora, nenhuma medida foi verdadeiramente eficaz para melhorar a mobilidade do cidadão sorocabano. Eu pretendo, principalmente, ouvir as pessoas, porque são elas que vivem o dia a dia da cidade e sabem o que é preciso para uma melhor locomoção. Então, além de estudar os contratos atuais de transporte, vejo que é necessário um estudo das demandas atuais para realizar a ampliação das linhas de ônibus na cidade; melhorando trajetos e redimensionando o número de ônibus para cada linha. Em alguns casos, até mudando alguns pontos de parada de lugar, seguindo a necessidade dos bairros. Por meio da sincronização de semáforos, a tecnologia também irá permitir ondas verdes de sinalização, priorizando os ônibus. Sorocaba também merece novas avenidas, que escoem o tráfego mais rapidamente. Para disciplinar o motorista, a solução é conscientizar. Multas não são a solução, mas podem ser necessárias quando há constante negligência de motoristas.

Qual sua visão quanto ao BRT?

O BRT, quando foi adotado, era uma obra cara e desnecessária para a nossa cidade. Eu não faria. Porém, hoje já é uma realidade. Então, o que precisamos fazer são adequações, especialmente na coordenação com as linhas de ônibus dos bairros. E, claro, concluir o que já foi iniciado, senão, seria um desperdício ainda maior de dinheiro, mas sem causar ainda mais transtorno à população e ao comércio.

Uma de suas bandeiras é o cuidado com os dependentes químicos e moradores em situação de rua. Qual será a primeira medida em relação a eles?

Tenho um trabalho forte e já consistente nessa área. Como vereador, atendi a mais de 40 mil pessoas em meu escritório político, recebendo todo tipo de demanda. Cerca de 10 mil pessoas atendidas foram na área da dependência química. Por isso, é possível dizer que já ajudei muitas famílias sorocabanas a vencerem o problema. E sei a importância que isso tem para todo mundo. Como prefeito, quero ajudar muito mais pessoas. E isso deve ser feito, inclusive, de forma preventiva, com ações educativas e ligadas ao esporte e lazer, por exemplo. Porque todos sabemos que é mais fácil lidar com essa situação antes que ela se instale, do que depois que as drogas já destruíram a vida do dependente químico e de sua família. 

Por lidar com os jovens, quais medidas pretende trabalhar na área esportiva?

O esporte é outro recurso importante para se trabalhar na formação dos jovens e, de certa forma, também atuar preventivamente na questão da dependência química. Acho que precisamos lidar com muita seriedade nessa área. E dou tanta importância a ela que meu vice é o Fernando, ex-dirigente do Clube São Bento. Nosso propósito é incentivar o esporte amador em nossa cidade e criar condições para que crianças e jovens, especialmente, ingressem em modalidades esportivas. Outro projeto que será um incentivo ao esporte é a criação das Praças-clube, com equipamentos, como quadras poliesportivas, pista de skate e playground, entre outros. Será um espaço de esporte, lazer e convívio para a toda a família. Outro objetivo será a criação de torneios esportivos entre as escolas sorocabanas.

Como será a atenção com os bairros rurais?

Há oito anos, como vereador, comecei a percorrer semanalmente todos os bairros da cidade para conhecer a realidade e as demandas de cada local, além de receber sempre a população em meu comitê político. Portanto, esse é um panorama que eu conheço muito bem. Aliás, foi justamente por ver de perto essa realidade que eu resolvi buscar o cargo no Executivo, com o objetivo de fazer mais pela população. Durante a campanha, continuei visitando todas as regiões da cidade, incluindo bairros mais afastados e com características rurais. Porque meu objetivo é levar mais infraestrutura e desenvolvimento para todos os cantos de Sorocaba. E, muitas vezes, são esses os que mais precisam de ações do poder público. Quem já me conhece sabe que pode contar comigo. Não seria diferente agora.


Como pretende explorar o turismo em Sorocaba?

O turismo é uma das áreas mais relevantes para o desenvolvimento da cidade e que acaba movimentando também a economia do município. Para isso, precisamos tomar conta da cidade como um todo, e não a deixar abandonada como está agora. Um dos projetos que trabalharemos é o de Trem Turístico entre Sorocaba e Votorantim. Isso deverá fomentar o turismo entre os moradores dos dois municípios e atrair pessoas de outras cidades e até de fora da nossa região. A descentralização de projetos culturais, chegando aos bairros e valorizando artistas da nossa cidade, é outra iniciativa muito importante. Ainda, ações como o programa Arruma Sorocaba, que prevê a contratação de mão de obra diretamente pela Prefeitura, também vão agregar ao turismo. A ideia é baseada em um projeto que fui conhecer na cidade de Diadema (SP). Esses empregos, pelo menos 2 mil já no primeiro ano do meu governo, deverão ser oferecidos, principalmente, para pessoas sem fonte de renda ou que são beneficiárias de programas do governo federal, como o Bolsa Família. Essas pessoas receberão um salário-mínimo e cesta básica para trabalhar em serviços de zeladoria, como poda de árvores e pintura de sinalização em vias públicas, além da manutenção de praças e parques, entre outros. Mantendo nossa cidade bonita e organizada, isso também ajudará a atrair mais turistas. 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar