Quinta-Feira, 3 de Dezembro de 2020

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< POLÍTICA Covas afirma não mudar visão quanto a Bolsonaro Tucano recebe apoio de Russomanno e Republicanos

Publicada em 18/11/2020 às 21:16
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
(Foto: Patrícia Cruz/Fotos Públicas)
A corrida atrás de votos para o segundo turno está a todo vapor na Capital paulista. O candidato à Prefeitura pelo PSDB, Bruno Covas, afirmou nesta quarta-feira (18) não ser biruta de aeroporto para mudar seu posicionamento contrário a ações do presidente Jair Bolsonaro para angariar votos. 

A declaração deu-se no Jardim Ângela, extremo sul, em campanha com os vereadores Milton Leite (DEM) e Ricardo Nunes (MDB), também vice na chapa de Covas. Nas mídias sociais, vídeos e fotos têm circulado mostrando uma selfie de Covas com João Doria (PSDB) e Bolsonaro. 

“Não sou biruta de aeroporto para mudar conforme a orientação de vento. Sou o mesmo Bruno fora da campanha, no primeiro turno, no segundo turno. Anulei meu voto na eleição presidencial de 2018 por não ver no Bolsonaro nenhum discurso que agregasse valores democráticos na campanha dele”, disse. 

O tucano afirmou, ainda, ter se posicionado contra ações do presidente durante diversos momentos, ressaltando a ocasião em que disse que vetaria mudanças em livros didáticos revisionistas da Ditadura Militar. “Ou seja, mantenho meu posicionamento contrário a vários posicionamentos dele, seja na área de direitos humanos, seja na área ambiental.” 

Com apoio de Celso Russomanno e seu partido, o Republicanos, Covas negou que este aceno pudesse atrapalhar sua corrida à Prefeitura. “Apoio do Russomanno ajuda, não há maior dúvida. Dele e do Republicanos. Ele teve 10% dos votos aqui. Não há nenhum problema em agregar apoio neste segundo turno.”

O prefeito falou também quanto ao episódio em que se desculpou com seu adversário, Guilherme Boulos (Psol), após críticas de seu aliado, o ex-deputado federal Ricardo Trípoli, que disse em um evento que o líder de movimento de moradia mata a mãe para ir a baile de órfãos.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar