Quinta-Feira, 26 de Novembro de 2020

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< POLÍTICA No segundo turno, Covas e Boulos já se alfinetam durante agradecimentos Trata-se da primeira vez em que o PSOL chega ao segundo turno em uma eleição paulistana

Publicada em 16/11/2020 às 04:03
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
(Foto: divulgação)
Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL) vão disputar o segundo turno das eleições paulistanas. O atual prefeito, vice na chapa de João Doria em 2018, tenta ficar no cargo – com 32,85% dos votos válidos. Por sua vez, Boulos, em sua segunda disputa eleitoral, chega ao segundo turno impulsionado por uma forte campanha nas redes sociais e que seguiu nos últimos dias de eleição, com 20,24%.
 
Boulos vai ocupar um lugar que era dos petistas desde 1988, quando foi eleita sua candidata a vice, Luiza Erundina. Trata-se da primeira vez em que o PSOL chega ao segundo turno em uma eleição paulistana. Já Covas arrancou para a liderança nas últimas semanas, tirando Russomano da liderança. Contou, ainda, como aliados, o maior tempo de TV e a exposição provocada pela pandemia do novo Coronavírus.
 
Covas agradeceu aos seus eleitores, ontem à noite, por "espetacular vitória no primeiro turno" da eleição na Capital paulista. A declaração foi dada pouco antes de parcial divulgada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) mostrar o tucano com 32,85% dos votos, com 99,67% das urnas apuradas.
 
“A esperança venceu os radicais no primeiro turno, e a esperança vai vencer os radicais no segundo turno. Agora, agradeço a todos os paulistanos e paulistanas que nos deram essa espetacular vitória no primeiro turno. Chegamos a praticamente um terço dos votos aqui”, disse.
 
No discurso, o tucano declarou que a eleição municipal não representa nem "revanche de 2018" ou uma prévia do pleito de 2022. “São Paulo foi às urnas e mostrou que não era momento, que não queria revanche de 2018 ou antecipar as eleições de 2022.”
 
Já Boulos disse que "radicalismo" é ter gente da cidade mais rica do País revirando lixo. A declaração dada na noite deste domingo foi uma resposta a Bruno Covas (PSDB), que disse que irá vencer o radicalismo no segundo turno. Ele também agradeceu aos que votaram com esperança. "O que mais me contagiou nesse primeiro turno foi justamente que nossa campanha mostrou que é possível voltar a fazer política
sem desistir da esperança", frisou.
 
Disse, ainda, que neste primeiro turno venceu o presidente Jair Bolsonaro. "Vencemos o projeto de ódio, atraso e mentira. No segundo turno vou vencer João Doria, porque é ele que de verdade governa a cidade.”
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar