Segunda-Feira, 30 de Novembro de 2020

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< SAÚDE Anvisa suspende temporariamente testes com a CoronaVac

Publicada em 10/11/2020 às 09:17
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
(Foto: Agência Brasil)
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu temporariamente os testes em humanos da vacina Coronavac contra a Covid-19. De acordo com a agência, a interrupção foi determinada nesta segunda-feira (9) por causa de um "evento adverso grave".
 
A Anvisa informou que foi notificada do "evento" em 29 de outubro. Mais de 10 dias depois, determinou que nenhum novo voluntário poderá ser vacinado até que ela possa avaliar os dados e "julgar o risco/benefício da continuidade do estudo".
 
Além do Brasil, os testes clínicos da Coronavac também ocorrem na Indonésia e na Turquia, mas não há relatos de suspensão nestes países.
 
BUTANTAN ESTRANHA A DECISÃO - O diretor geral do Instituto Butantan em São Paulo, Dimas Covas, afirmou que recebeu com estranheza a notícia de que a Anvisa   suspendeu temporariamente os testes em humanos da vacina chinesa Coronavac no Brasil. 
 
Segundo Dimas Covas, trata-se de "um óbito não relacionado à vacina" e, portanto, "não existe nenhum momento [ou motivo] para interrupção do estudo clínico" da vacina no Brasil.
 
"Em primeiro, a Anvisa ela foi notificada de um óbito, não de um efeito adverso. Isso é diferente. Nós até estranhamos um pouco essa decisão da Anvisa, porque é um óbito não relacionado à vacina. Ou seja, como são mais de 10 mil voluntários nesse momento, pode acontecer óbitos. Nesse momento, [o voluntário] pode ter um acidente de trânsito e morrer. Ou seja, é um óbito não relacionado à vacina. É o caso aqui. Ocorreu um óbito, que não tem relação com a vacina. Portanto, não existe nenhum momento [ou motivo] para interrupção do estudo clínico", disse Dimas Covas..
 
O Instituto Butantan também se manifestou por meio de nota e afirmou que está "pedindo mais esclarecimentos à Anvisa".
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar