Quarta-Feira, 21 de Outubro de 2020

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< CULTURA Cartunista argentino e criador da Mafalda, Quino morre aos 88 anos O humorista gráfico sofreu um acidente vascular cerebral

Publicada em 30/09/2020 às 21:26
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
(Foto: divulgação)
O humorista gráfico e cartunista argentino, Quino, criador da personagem Mafalda, a garota inteligente que transcendeu fronteiras, morreu aos 88 anos, informou seu editor nesta quarta-feira (30).

“Quino morreu. Todas as pessoas boas do país e do mundo ficarão de luto por ele”, disse seu editor, Daniel Divinsky, no Twitter. Joaquín Salvador Lavado, mas conhecido como Quino, sofreu um acidente vascular cerebral nos últimos dias.

A notícia gerou comentários entre os cartunistas. Laerte disse esperar que o mundo de Mafalda continue a influenciar outras pessoas, como aconteceu com ela. “Eu decidi fazer tiras e cartuns movida pelo trabalho do Quino”, escreveu. 

Já Adão Iturrusgarai, criador das tirinhas de “Aline”, considerou que o trabalho de Quino teve grande relevância para os cartunistas. “Todo cartunista da minha geração foi influenciado pelo Quino. Se não foi, era de outro planeta”, pontuou. 

O criador dos personagens de quadrinhos Capitão Presença e Mundinho Animal, Arnaldo Branco, ressaltou que Quino deixa uma obra maior que seus cartuns, porque são verdadeiros poemas visuais. 

O desenhista André Dahmer, criador dos Malvados, lamentou a morte e destacou ser muito grato pelo trabalho do cartunista. “A Mafalda é um personagem icônico. O conjunto do trabalho dele não dá para dimensionar o tamanho da perda.” 

CRIAÇÃO – Quino criou Mafalda já em seu primeiro emprego como desenhista publicitário, em 1962. A menininha seria personagem de uma peça de propaganda, que foi rejeitada por jornais na época. 

O autor retomou o personagem em 1964. A partir de então, as historinhas, agora sem intenção publicitária, acabaram aparecendo em jornais do mundo todo. Mais tarde, os livros de Mafalda foram traduzidos para mais de 30 idiomas.
 
A garotinha também virou protagonista de um filme, produzido na Argentina e lançado em 1982. As tirinhas, ainda, tornaram célebres personagens como Manolito, Susanita, Guille, Filipe e Libertad. 

Em 1973, após 2 mil tirinhas, Quino optou por não desenhar mais Mafalda. Em 2014, o cartunista respondeu a uma pergunta, se a personagem manteria seu olhar crítico ao mundo, ressaltado que sim. “Se você vir os jornais, não precisa nem perguntar o porquê.” 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar