Segunda-Feira, 26 de Outubro de 2020

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< EDITORIAL A destruição mundial da natureza

Publicada em 24/09/2020 às 22:40
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
Quase nada o mundo teve a comemorar nesta semana, por ocasião da passagem do Dia Mundial da Árvore, a não ser o lamento por tudo aquilo que elas vêm sofrendo por iniciativa do próprio ser humano ao longo dos anos, principalmente no que diz respeito às grandes cidades, onde a impermeabilização do solo pelo asfalto e concreto armado não para de provocar tragédias sem fim com as inundações que se multiplicam por todas as partes. O que se observa cada vez mais são os espaços reduzidos para que as árvores possam florescer em benefício de toda a humanidade. Mesmo assim, säo elas que fornecem o oxigênio   necessário para que as grandes metrópoles possam sobreviver, garantindo as flores e a polinização, a sombra e os ninhos dos pássaros na primavera.

Como não bastasse tudo aquilo de pior que sofrem, elas ainda são obrigadas a resistir às ervas daninhas e a tudo mais que infestam seus caules, prejudicando o processo de seu crescimento. Na verdade, com raríssimas exceções, não recebem nenhum tipo de manutenção ou tratamento por parte dos governantes, não sendo poucas aquelas que sofrem todas as intempéries da natureza e apodrecem naturalmente, sem nenhum acompanhamento por engenheiros florestais, 
"Todos os anos, sob a contemplação de toda a humanidade, tudo vai se repetindo de maneira destruidora contra o meio ambiente mundial"

que poderiam ajudar ao longo de sua existência. Da mesma forma, as cidades também sofrem pelo vandalismo, onde de cada 100 plantadas apenas 15 sobrevivem até o segundo ano de vida. De um modo geral, são poucos os que realmente procuram proteger o meio ambiente como se deve. Não bastasse tudo isso, todos os anos as florestas do pantanal brasileiro e da Amazônia ainda acabam sendo destruídas pelo fogo, num espetáculo sinistro e dos mais tristes que toda a humanidade pode presenciar. O que ocorre no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, na própria região amazônica e em outros Estados não deixa de ser um dos maiores genocídios ambientais. É preciso lembrar, por exemplo, que ao longo de tantos anos a Mata Atlântica no Brasil foi reduzida a 3% da cobertura vegetal. É evidente que em outras partes do mundo acontece a mesma destruição, mas o que deve interessar aos brasileiros é a proteção da natureza em todo o território nacional. Infelizmente, hoje e sempre, é assim que caminha a desumanidade contra a natureza e a vida em todo o planeta. Praticamente, todos os anos, governantes dos países mais desenvolvidos assumem compromissos contra a devastação que se verifica de maneira impiedosa, mas o fato é que, sob a contemplação de toda a humanidade, tudo vai se repetindo de maneira destruidora contra o meio ambiente mundial.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar