Sábado, 24 de Outubro de 2020

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< ENTRETENIMENTO #EmCasaComSesc estreia novos títulos hoje e filme do Cine África

Publicada em 23/09/2020 às 21:22
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
(Foto: divulgação)
Há mais de três meses no ar e com mais de 650 mil visualizações, a série Cinema #EmCasaComSesc, realizada pelo Sesc São Paulo, disponibiliza gratuitamente ao público novas estreias em streaming pela plataforma do Sesc Digital nesta quinta-feira (24). Nesta semana, aliás, além das estreias, a série exibe um título do Cine África (ver boxe).

Uma das estreias de hoje é “O Despertar das Formigas”, com direção de Antonella Sudasassi Furniss. O longa-metragem foi a aposta da Costa Rica para disputar uma vaga ao Oscar deste ano. Conta a história de Isabel, que é boa mãe, boa esposa e boa nora, mas quando sua família começa a pressioná-la a ter outro filho ela terá que enfrentar a si mesma, seu ambiente e as pessoas à sua volta. O filme tem classificação indicativa de 14 anos. 

Outra novidade é a ficção francesa “Party Girl”, com direção de Marie Amachoukeli, Claire Burger e Samuel Theis. Inspirado na história real da mãe do diretor Samuel Theis, o filme conta com a própria família do realizador no elenco, interpretando a si mesmos. Angélique é uma hostess de 60 anos que ainda gosta de festa. Trabalhando em um cabaré perto da fronteira franco-alemã, ela recebe um pedido de casamento inesperado. Vencedor do prêmio Caméra d’Or e da mostra Un Certain Regard, do Festival de Cannes, tem classificação indicativa de 14 ano também.
 
TRÊS NACIONAIS - A semana também traz dois títulos nacionais entre suas estreias. “Maria, Não Se Esqueça que Venho dos Trópicos”, de Francisco C. Martins, relata a vida e obra de Maria Martins (1984-1973), escultora, gravurista, pintora, desenhista e escritora brasileira, conhecida principalmente pelo seu talento aproximado ao surrealismo. Com entrevistas, o longa apresenta parte da trajetória de Maria desde seus estudos na Europa com Oscar Jespers, em Bruxelas, e sua relação amorosa e artística com Marcel Duchamp, quando foi erradicada nos EUA. Classificação indicativa: 10 anos. 

Tem também a animação “História Antes de uma História”, de Wilson Lazzaretti, que mostra como um desenho animado é criado, a partir de um menino e uma menina inspirados pelas formas da maçã e da jabuticaba que, ao lado de outros personagens, acompanharão o doutor K., numa sucessão de belas imagens em movimento. A classificação é livre.

O Cinema #EmCasaComSesc exibe ainda, a partir desta noite, o curta-metragem brasileiro “Sem Asas”, da diretora Renata Martins. Em doze minutos, o filme mostra a história de Zu, um garoto de 12 anos que vai à mercearia comprar farinha de trigo para a sua mãe e, na volta para casa, descobre que pode voar. 

SERVIÇO - A série Cinema #EmCasaComSesc oferece a cada semana streaming gratuito de filmes em alta qualidade e sem necessidade de cadastro. Para assistir, basta acessar sescsp.org.br/cinemaemcasa .

 

Cine África exibe obra sudanesa em meio à mobilização política

O projeto Cine África, que traz filmes de países como Burkina Faso, Camarões, Egito, Etiópia, Nigéria, Quênia, Senegal e Sudão, direto na plataforma do Sesc Digital, exibe esta semana, a partir desta quinta-feira (24), o longa-metragem sudanês “aKasha”, de hajooj kuka. Em uma área controlada por rebeldes no Sudão, vive Adnan, um guerrilheiro muito dedicado que passa seus dias ao lado de uma AK-47, sempre pronto para o ataque. No entanto, o jovem parece estar cada vez mais distraído graças aos seus sentimentos amorosos em relação a Lina. Nesse contexto caótico, dominado pela guerra civil, os dois iniciam uma inusitada história de amor, ignorando todas as possíveis consequências que estão por vir. A classificação indicativa é livre. “aKasha” é o primeiro longa de ficção de hajooj kuka (como assina seus projetos), que estreou no Cinema com o documentário de guerra ‘Beats of the Antonov’, vencedor do People’s Choice Award, no Festival Internacional de Cinema de Toronto’2014. Kuka participou do projeto ‘Berlinale Talents’, em 2016, e hoje é um dos nomes mais importantes do cinema sudanês, membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas que realiza o Oscar. Preso em 17 de setembro, quinta-feira da semana passada, durante o ensaio de uma peça de teatro com seu grupo, ele é acusado de infringir a lei do país com poluição sonora, mas especula-se que a prisão tenha cunho político. Membros da comunidade internacional de Cinema se mobilizam e pedem a libertação imediata do cineasta e seus amigos. Além do filme “aKasha”, o Cine África traz entrevista exclusiva com o diretor, antes de sua prisão.


O projeto Cine África tem realização do Sesc São Paulo e acontece de setembro a novembro, com exibições, entrevistas e curso. Para saber mais sobre a Mostra de Cinemas Africanos e o projeto Cine África, acesse mostradecinemasafricanos.com .
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar