Segunda-Feira, 26 de Outubro de 2020

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< EDITORIAL O alerta do Setembro Amarelo

Publicada em 16/09/2020 às 22:23
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
Estatísticas divulgadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que a cada 50 segundos uma pessoa tira a própria vida em alguma parte do mundo. Como nem todos têm um conhecimento mais profundo sobre isso, o que se constata é que essas ocorrências, que trazem desconsolo a tantas famílias diariamente, ainda säo um verdadeiro tabu, não sendo discutidas de maneira mais intensa por toda a sociedade mundial. Levando-se em conta que não säo poucos aqueles que precisam de ajuda para evitar que o poder da destruição assuma o controle de suas vidas, este é um assunto que deveria ser levado muito mais a sério por todos, considerando-se, principalmente, que quase 90% dos casos, segundo a OMS, säo preveníveis, já que estão ligados a diagnósticos que podem ser tratados.

Em razão de tudo isso é que nos últimos anos foi criado o Setembro Amarelo, programa que, neste mês, procura discutir de maneira mais profunda todos os mitos que ainda persistem em torno deste tema. Sabe-se que tirar a própria vida está associado a questões morais, a pessoas que mergulham em um processo de desânimo sem firmeza na personalidade ou que vivem distantes de uma religião e, notadamente, sem o aconchego de Deus no coração. Nunca é demais lembrar que a tristeza faz parte da vida, mas a 
"Especialistas recomendam que é preciso todo mundo manter os laços sociais e o contato com as pessoas, respeitando-se os cuidados que a pandemia exige"

sua persistência deve chamar a atenção da própria pessoa e de seus familiares, sendo necessário procurar por ajuda de profissionais que atuam nessa área. Da mesma forma é importante entender ser legítimo que todo e qualquer tipo de sofrimento mental merece ter tratamento especial para evitar as consequências de casos extremos e dolorosos. Em Sorocaba, por exemplo, assim que algum caso começa a se manifestar, é preciso recorrer à assistência gratuita dos Caps (Centros de Atenção Psicossocial), aos integrantes do Centro de Valorização da Vida (CVV), organização sem cunho político ou religioso, e a outros profissionais que sempre estão dispostos a ouvir a quem precisa. Pode-se ressaltar que, neste ano, mais do que um sinal amarelo, a pandemia do novo Coronavírus acendeu um alerta vermelho muito visível, já que a doença vai impactando as pessoas de diversas maneiras. A nova realidade que todos passaram a viver aumentou os diagnósticos de transtornos depressivos que tudo tem a ver com o tema em pauta. Apesar de serem poucos, os dados a esse respeito já apontam para uma elevação dos casos. Por isso mesmo, os especialistas no assunto recomendam que, nestes dias de pandemia acentuada, é preciso todo mundo manter os laços sociais e o contato com as pessoas, respeitando-se, naturalmente, todos os cuidados que säo necessários.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar