Domingo, 20 de Setembro de 2020

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< EDITORIAL Consequências menos dolorosas

Publicada em 02/09/2020 às 23:00
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
Em meio a tantos alvoroços, contradições e incertezas provocados pela pandemia do novo Coronavirus, cujo rastro ninguém sabe exatamente até quando vai se prolongar, o fato é que existe um consenso de que o pior de seu impacto negativo já está passando e tornando menos dolorosas suas consequências a toda população. Os números mostram que a situação vem sendo atenuada, semana após semana, enquanto muitos hospitais de campanha, inclusive, já foram desativados em várias partes do Brasil. Há que se destacar que o número de mortes caiu, são milhares as pessoas que conseguiram se recuperar, quase todas as atividades voltaram a funcionar, os infectados diminuíram e até novas contratações no mercado de trabalho estão sendo feitas, embora ainda de maneira muito devagar.

Apesar disso, sem uma vacina que possa combater o mal como se deve, de preferência com uma imunização em massa, é arriscado e pouco recomendável permitir que as orientações sanitárias não sejam seguidas. Por isso mesmo, o que se espera é que alguma vacina em estudo no mundo, inclusive no Brasil, realmente possa se transformar em realidade após cumprir todas as etapas de registro e produção, correspondendo, dessa maneira, às expectativas de todos. Num momento como este, há que se lembrar como o dinheiro roubado dos cofres públicos ao longo deste século por empreiteiras e políticos 
"Toda a sociedade brasileira precisa atentar para a necessidade da retomada de todas as atividades produtivas para  que a economia nacional possa se reerguer de maneira firme e determinada quando a pandemia passar"

desonestos poderia ter ajudado de maneira inquestionável na aquisição de equipamentos médicos, na construção de hospitais e na qualificação de profissionais de todas as áreas de atividades. Igualmente importante é a necessidade de os governantes, empreendedores e a própria sociedade brasileira atentar para a retomada de todas as atividades produtivas para que a economia nacional possa se reerguer de modo firme e determinado assim que a pandemia passar. Há que se projetar e colocar em prática o quanto antes projetos que possam fortalecer todo o processo de desenvolvimento econômico, que hoje se encontra paralisado em prejuízo dos brasileiros em geral. Sem que os trabalhadores possam ser recontratados gradativamente, nada voltará a ser como era antes, já que o consumo das famílias é que deve ser um motor de reativação econômica em todos os seus aspectos. Com mais dívidas e menos dinheiro no bolso, será difícil ir às compras, reanimar a economia e garantir mais trabalho no comércio e na indústria. Para que as coisas não piorem ainda mais, o Brasil precisa o quanto antes retomar a movimentação de sua economia.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar