Sexta-Feira, 18 de Setembro de 2020

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< BRASIL Proposta do Renda Brasil está suspensa Atual sugestão da equipe econômica não será enviada ao Parlamento

Publicada em 26/08/2020 às 22:02
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
(Foto: Agência Brasil)
O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (26), ao participar de evento em Ipatinga (MG), que a proposta do programa Renda Brasil está suspensa. O programa pretende expandir o Bolsa Família. "Discutimos a proposta, a possível proposta do Renda Brasil. Eu falei: está suspenso. Vamos voltar a conversar.” O presidente informou, ainda, que a proposta apresentada a ele pela equipe econômica não será enviada ao Parlamento. "Não podemos fazer isso aí, como, por exemplo, a questão do abono para quem ganha até dois salários mínimos, seria um décimo-quarto salário”, ressaltou.

Bolsonaro destacou também que não se pode tirar de 12 milhões de pessoas para dar para um Bolsa Família, um Renda Brasil. O discurso deu-se durante cerimônia de reativação do alto-forno 1 da Usiminas. No evento, o presidente defendeu a adoção de medidas que possibilitem a geração de emprego e renda. "Ou o Brasil começa a produzir, começa realmente a fazer o plano que interessa a todos nós, que é o melhor programa social que existe, que é o emprego, ou nós estamos fadados ao insucesso. Não posso fazer milagre. E conto com todos os brasileiros para que cada um faça o melhor de si", disse.

RENDA BRASIL - Em junho, o ministro da Economia, Paulo Guedes, tinha anunciado que o governo federal criaria um programa de renda mínima permanente, após a pandemia do novo Coronavírus, denominada "Renda Brasil". De acordo com o ministro, haverá a unificação de vários programas sociais para a criação do programa, que deve incluir os beneficiários do auxílio emergencial, que recebem parcelas de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), pagas em razão da pandemia da Covid-19. "Resolvemos, então, estendê-lo (auxílio emergencial) até dezembro, o valor não será R$ 200 nem R$ 600”, disse. 

DESCE A LADEIRA – As declarações e discordâncias afetam o mercado financeiro. Após se estabilizar em queda de 1,53%, aos 100.553 pontos, por volta das 14h15, o Ibovespa acentuou as perdas e, às 14h50, operava em queda de 2,46%, aos 99.608 pontos. No mesmo horário, o dólar comercial subia 1,73%, cotado a R$ 5,6224. O dia começou em leve baixa, com cautela, contudo a resposta do mercado à negativa de Bolsonaro ao ministro Paulo Guedes foi imediata. O ponto de discórdia é a ideia de acabar com o abono salarial. A equipe, liderada por Guedes, contava com esse dinheiro para viabilizar o benefício social.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar