Domingo, 20 de Setembro de 2020

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< EDITORIAL Saneamento básico e saúde

Publicada em 20/08/2020 às 21:43
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
Depois de ter sido aprovado no Congresso Nacional, no início deste mês, o que se espera é que o Marco Regulatório do Saneamento Básico realmente possa ser colocado em prática de maneira efetiva no Brasil nos próximos anos, principalmente no que diz respeito à coleta e tratamento de esgoto, área em que o Pais é um dos mais atrasados do mundo. É preciso enfatizar que, sem levar adiante como se deve uma iniciativa dessa natureza, o Brasil jamais se livrará de uma triste situação que o empurra cada vez mais para o fundo do poço no que diz respeito à saúde.

Antes de mais nada é preciso lembrar, de acordo com estudos científicos, que um dos grandes males provocados pela falta de saneamento básico é a intensa proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor que tudo tem a ver com a dengue, zika, chikungunya e outras doenças que vêm causando muitos problemas no Brasil, onde encontra um clima favorável para se reproduzir de maneira intensa e fatal. Na maioria dos casos, acaba contaminando, principalmente, as famílias mais pobres que vivem em locais onde o saneamento básico deixa muito a desejar.

A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) deixa claro que mais de 90% das doenças transmitidas pelo Aedes
“Já passou da hora de todos os problemas provocados pela falta de saneamento serem atacados com muito mais empenho, responsabilidade e planejamento
poderiam ser evitadas com o abastecimento de água potável e da coleta e tratamento de esgoto. A Organização das Nações Unidas (ONU) também nunca deixa de alertar que o problema poderá ser reduzido de maneira adequada a partir do momento em que existir muito mais investimentos nessa área, exatamente como é previsto com a formalização do Marco Regulatório. Através dele, o que se espera é que até 2033 os poderes públicos e empresas passem a investir como se deve para que o saneamento básico possa avançar pelo Brasil e corresponder aos anseios de toda a população. Infelizmente, ao longo dos anos, o desleixo e a falta de cobrança dos políticos nunca deixaram de contribuir para o agravamento da situação e de tudo aquilo de mal que as doenças representam. É preciso fazer o que deve ser feito para acabar com a coleta inadequada de esgoto que atinge de maneira mais intensa as crianças. Só para se ter uma ideia, quase 70% da população brasileira ainda não contam com esse melhoramento público, que é de fundamental importância para a qualidade de vida de cada pessoa. No que diz respeito à água tratada, pelo menos 30% dos brasileiros não têm acesso a ela. Já passou da hora de todos os problemas provocados pela falta de saneamento serem atacados com muito mais empenho, responsabilidade e planejamento.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar