Segunda-Feira, 1 de Junho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Dia Municipal da Imprensa recorda fundador do DIÁRIO

Publicada em 07/05/2020 às 20:41
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Arquivo/DS)

Entre as várias efemérides históricas comemoradas a 8 de maio, está o Dia Municipal dos Profissionais de Jornalismo e da Imprensa, celebrado nesta sexta-feira em Sorocaba numa homenagem ‘in memoriam’ ao jornalista Vitor Cioffi de Luca, fundador do DIÁRIO, que circula ininterruptamente na cidade e região desde 6 de julho de 1958. A comemoração foi instituída pelo Legislativo sorocabano no calendário oficial do Município em 2015, por iniciativa do vereador Pastor Luís Santos que, na oportunidade, insistia que “homenagear essa categoria profissional é reconhecer o valor daqueles que compõem um dos pilares mais visíveis da democracia, das liberdades e das garantias individuais de nossa sociedade e estão comprometidos com a disseminação democrática da informação”, justificando, então, o patronato de Vitor à data, ‘um pioneiro e visionário’ – que se vivo fosse estaria completando hoje seu 95º aniversário natalício.

O jornalista Vitor Cioffi de Luca, formado na segunda turma da Faculdade “Cásper Líbero”, de São Paulo, pioneira na implantação dos cursos de Jornalismo a nível universitário no Brasil, foi o primeiro profissional de Imprensa a atuar dentro do Jornalismo sorocabano. Nasceu no dia 8 de maio de 1925 em Piraí do Sul e, ainda adolescente, deixou a família e saiu da cidade natal no interior do Paraná em busca de melhores oportunidades de estudo e trabalho em São Paulo. Para sustentar seus estudos, começou a trabalhar em uma agência bancária - chegou a subgerente. Por ser árbitro de tênis de mesa, uma das primeiras paixões e ‘hobby’, ele também escrevia, como colaborador, artigos esportivos para o jornal "Gazeta Esportiva", mantido pela própria Fundação ‘Cásper Líbero’.

Em 1952, recém-formado, o jornalista Vitor Cioffi de Luca foi convidado para vir para Sorocaba, dirigir o jornal “Folha Popular”, diário de inspiração católica que sucederia “O Mensageiro Diocesano”, ambos administrados pela Cúria Diocesana, sob orientação do primeiro bispo, dom José Carlos de Aguirre. Em 1958, porém, Vitor, ao lado da esposa Thereza Conceição Grosso de Luca, com que se casara pouco depois de se aventurar na decisiva empreitada jornalística transferindo-se para uma cidade do Interior que só conhecia de nome, decidiu fundar o seu próprio jornal, criando o DIÁRIO DE SOROCABA. Seu sonho era fazer um veículo de comunicação imparcial e independente. E esse legado de Vitor Cioffi de Luca, o primeiro jornalista formado a fundar um diário em Sorocaba, permanece no dia a dia dos sorocabanos. São 62 anos de caminhada. Vitor e sua mulher Thereza faleceram em acidente automobilístico no dia 13 de novembro de 1998, quando retornavam de uma das viagens que realizavam para rever familiares e amigos em Piraí do Sul.

Entre as outras efemérides significativas deste 8 de maio diferente, em tempos de distanciamento social por conta da pandemia do coronavírus, cumpre destacar ainda a passagem do 93º aniversário de ordenação sacerdotal de Monsenhor Luiz Castanho de Almeida, o historiador, literato e folclorista Aluísio de Almeida, fundador e presidente perpétuo do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba, e do 75º aniversário do término da II Guerra Mundial, sempre também assinaladas na cidade com comemorações públicas, tanto na Casa ‘Aluísio de Almeida’, em Vila Hortência, como junto ao Obelisco em homenagem aos ex-combatentes sorocabanos e à FEB/Força Expedicionária Brasileira na praça Frei Baraúna (Fórum Velho).

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar