Quarta-Feira, 23 de Outubro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Estudo aponta queda de 23,5% no estoque de imóveis Levantamento do Sindicato da Habitação apurou 2.630 unidades lançadas e 2.976 vendidas em 12 meses na cidade; em setembro, eram 2.548 ainda à venda

Publicada em 08/10/2019 às 11:05
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)

O Estudo do Mercado Imobiliário, realizado pelo Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), em parceria com a Robert Michel Zarif Assessoria Econômica, e divulgado à imprensa na noite desta segunda-feira (8), apurou que o Município registrou, em setembro, a oferta de 2.548 unidades disponíveis para venda. O montante corresponde a uma redução de 23,5% em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando houve o apontamento de 3.329 unidades não comercializadas. Esta oferta é formada por imóveis na planta, em construção e prontos (estoque), lançados nos últimos 36 meses (outubro de 2016 a setembro de 2019).

O levantamento indicou também que, entre outubro de 2018 e setembro de 2019, foram lançadas, em Sorocaba, 2.630 unidades, volume 19,6% abaixo do registrado no período anterior, quando os lançamentos totalizaram 3.272 residências. Nesse mesmo intervalo, foram comercializados 2.976 imóveis novos. O resultado representa uma redução de 13,3% em relação às 3.433 unidades vendidas e contabilizadas no estudo passado. Os imóveis de 2 dormitórios econômicos destacaram-se em quase todos os indicadores no período, registrando a maior quantidade de vendas (2.347 unidades), de lançamentos (1.952 unidades) e de oferta final (2.085 unidades) e de valores (R$ 389,1 milhões). Já o melhor desempenho de comercialização foi de imóveis de 1 dormitório, que atingiu VSO (Vendas sobre Oferta) de 100%, resultado da divisão das 21 unidades vendidas em relação aos 21 imóveis em oferta.

O VGV (Valor Global de Vendas) totalizou R$ 755,8 milhões, volume 6,8% superior ao registrado no levantamento passado (R$ 707,9 milhões). Nos 12 meses, o indicador VSO – que apura a porcentagem de vendas em relação ao total de unidades ofertadas – ficou em 53,9%, representando crescimento de 6,1% em relação aos 50,8% apontados no período anterior.

 

SOROCABA NA FRENTE NO MERCADO IMOBILIÁRIO – Apesar da atual queda nos lançamentos, a série histórica do Secovi-SP, realizada em suas regionais, mostra que Sorocaba foi a cidade com mais imóveis lançados em quatros anos: 2013 (6.515 unidades), 2014 (4.772 unidades), 2015 (5.954 unidades) e 2017 (3.701 unidades). Em 2012 (4.809 unidades), 2016 (2.721 unidades) e 2018 ((3.005 unidades), a cidade ocupou a segunda colocação em número de lançamentos.

O diretor regional do Secovi em Sorocaba, Guido Cussiol Neto, explicou durante o lançamento do estudo ontem que a cidade está em um momento de adequação e deve voltar à normalidade nos próximos meses. “Houve excesso de oferta de imóveis na cidade, o que impactou diretamente na quantidade de lançamentos. Este é um momento de adequação, em que o mercado está procurando equalizar estoque, oferta e demanda. A expectativa é de melhora do ambiente, impulsionada, inclusive, pelo crescimento do mercado paulistano, que acaba influenciando os demais municípios do Estado”, acentuou.

Os imóveis com metragem menor que 45 metros quadrados de área útil lideraram, entre outubro de 2018 e setembro de 2019, em termos de lançamentos (1.281 unidades), em oferta disponível (1.308 unidades) e em valores (R$ 172,7 milhões). Já as unidades com metragem entre 46 e 65 tiveram o melhor desempenho em vendas (1.390 imóveis).  Quanto à faixa de preço, os imóveis de até R$ 230 mil destacaram-se, registrando a maior quantidade de vendas (2.391 unidades), lançamentos (2.087 unidades), oferta final (2.214 unidades) e VGV (R$ 395,8 milhões).

Considerando-se todo o período de estudo, os lançamentos totalizaram 9.379 imóveis residenciais, dos quais 6.831 unidades foram comercializadas – ou seja, 73% dos imóveis ofertados ao longo desses 36 meses pesquisados. As vendas atingiram um montante de R$ 1,595 bilhão. Em setembro, o preço médio por metro quadrado de área útil dos imóveis residenciais foi de R$ 5.945,00 para o mercado tradicional e de R$ 3.575,00 no segmento econômico. Os valores médios praticados de venda dos imóveis, no período analisado de 36 meses, foram R$ 156.124,00 (1 dormitório econômico), R$ 269.040,00 (1 dormitório), R$ 167.502,00 (2 dormitórios econômicos), R$ 366.873,00 (2 dormitórios), R$ 485.452,00 (3 dormitórios) e R$ 2.258.000,00 (4 dormitórios).

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar