Quarta-Feira, 23 de Outubro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Trio explora ritmos brasileiros aliados às influências do jazz

Publicada em 03/10/2019 às 19:30
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)

Na noite deste sábado (5), na sequência das apresentações da 13ª Temporada de Música Instrumental Brasileira de Sorocaba, dentro do projeto ‘Metso Cultural’, idealizado e organizado pela MdA International, com curadoria de Marco de Almeida, o Teatro Municipal, no Parque da Boa Vista, recebe Hercules Gomes Trio - formado por Hercules Gomes (piano), Rafael Abdalla (baixo acústico) e Kabé Pinheiro (percussão). A apresentação gratuita começa às às 20h30, com retirada de ingressos a partir das 19 horas, na bilheteria do próprio Teatro Municipal.

Influências de ritmos  brasileiros, jazz e uma técnica refinada são alguns dos aspectos presentes no estilo pianístico e composicional de Hercules Gomes. Natural de Vitória (ES) e radicado em São Paulo, Hercules é hoje um dos mais representativos pianistas brasileiros de sua geração. Formado por Hercules Gomes (piano), Rafael Abdalla (baixo acústico) e Kabé Pinheiro (percussão), o Hercules Gomes Trio explora ritmos tradicionais brasileiros aliados às influências do jazz para trabalhar um conceito particular de música instrumental. A soma de suas diversas influências, o passeio por diversos estilos e a exploração da grande gama de recursos de seus instrumentos resulta em uma música viva, brasileira e contemporânea. No repertório, estão presentes composições próprias e arranjos para temas de grandes compositores brasileiros, como Radamés Gnattali, Hermeto Pascoal e Edu Lobo.

 

O EXÍMIO HERCULES GOMES - Natural de Vitória (ES), o pianista Hercules Gomes iniciou seus estudos aos 13 anos de idade como autodidata e, pouco tempo, depois já tocava em bandas do cenário musical capixaba. Estudou na Escola de Música do Espírito Santo e, posteriormente, ingressou no curso de Música Popular na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde se formou bacharel. Apresentou-se em alguns dos mais importantes festivais de música no Brasil e no Exterior e, em 2012, foi o vencedor do 11º Prêmio ‘Nabor Pires de Camargo’/Instrumentista, promovido pela Fundação Pró-Memória de Indaiatuba em homenagem ao importante compositor natural da cidade, em decorrência do que recebeu, no ano seguinte, o Colar do Centenário pelo Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. Em 2014, foi vencedor do I Prêmio Mimo Instrumental, promovido pelo maior festival de música instrumental do Brasil, com o objetivo de revelar novos talentos.

Já participou de trabalhos ao lado de músicos de renome, como Arismar do Espirito Santo, Letieres Leite, Alessandro Penezzi, Wilson das Neves e Banda Mantiqueira. Ainda em 2014 participou do projeto Goma-Laca – Afrobrasilidades em 78 RPM, ao lado do maestro baiano Letieres Leite, num projeto que resgatou músicas do candomblé, capoeira, jongo, maracatu, embolada e choro originalmente gravadas entre as décadas de 1920 e 1950. Depois, em 2015, participou da gravação do CD Radamés Gnattali - Concertos Cariocas, no qual interpretou o Concerto Carioca nº 2, com a Orquestra Sinfônica de Campinas. Como solista da mesma Orquestra, se apresentou no 48º Festival de Inverno de Campos do Jordão, onde interpretou a Segunda Rapsódia, de George Gershwin.  

Também em 2013, lançou seu primeiro trabalho solo, no qual demonstra suas fortes influências de ritmos brasileiros, jazz e da música erudita aliadas a uma técnica refinada, traduzindo ao piano seu universo sonoro. Com 6 composições próprias e 6 arranjos para músicas de compositores como Edu Lobo, Hermeto Pascoal e Ernesto Nazareth, o CD Pianismo traz fotografias panorâmicas do piano brasileiro com muito ritmo e lirismo. Em 2018, lançou seu segundo álbum, intitulado “No tempo da Chiquinha”, em comemoração aos 170 anos da pianista e compositora Chiquinha Gonzaga.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar