Sexta-Feira, 22 de Novembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Outubro chega com mostra de filmes russos no CineCafé

Publicada em 30/09/2019 às 19:24
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
O projeto CineCafé, do Sesc Sorocaba, exibe neste mês de outubro, sempre às terças-feiras, às 19 horas, uma mostra muito especial exclusivamente com produções do Cinema russo que revolucionaram a linguagem do cinematográfica em âmbito mundial. As exibições são gratuitas e os interessados devem retirar os ingressos com 1 hora de antecedência na Central de Atendimento da Unidade, localizada à rua Barão de Piratininga, 555.
“Dovlatov”, do diretor Alexey German Jr., uma produção da Rússia com cineastas das vizinhas Polônia e Sérvia (2018, 126 minutos de duração), abre este ciclo, já na noite desta terça-feira, 1º de outubro. O filme retrata seis dias na vida do escritor e jornalista Sergei Dovlatov, que durante anos enfrentou a rígida política de censura da extinta União Soviética (URSS). Enquanto se depara com artistas de todas as áreas serem obrigados a sair do país – entre eles, o seu grande amigo Joseph Brodsky, que viria a receber o Nobel de Literatura em 1987 –, Dovlatov tenta levar uma vida normal junto de Elena e Katya, a mulher e filha. Apesar da frustração e angústia de ver os seus manuscritos constantemente rejeitados, não pretende ceder ao conformismo. Classificação: 16 anos.
 
CICLO DO CINEMA RUSSO – O ciclo deste mês do ‘CineCafé’ com produções russas segue depois no dia 8, a terça-feira da semana que vem, com “Verão”, do diretor Kirill Serebrennikov (Rússia/França, 2018, 126 minutos de duração). Em 1981, o rock underground chegava na Rússia Soviética, mais precisamente em Leningrado. Sob a influência de artistas internacionais, como Led Zeppelin e David Bowie, o rock vibrava marcando o nascimento de artistas independentes. O jovem Viktor Tsoi ganhou fama internacional e tornou-se o primeiro grande representante russo do gênero. Além do talento musical, Viktor também ficou conhecido pelas polêmicas em sua vida pessoal, como o triângulo amoroso com o seu mentor musical e a esposa dele. 
Na sequência, virão ainda “Aelita, a Rainha de Marte” (direção de Yakov Protazanov, URSS, 1924) no dia 15; “As aventuras extraordinárias de Mr. West no País dos Bolcheviques” (direção de Lev Kuleshov, URSS, 1924 também) no dia 22 e encerrando o ciclo, no dia 29, “O Encouraçado Potemkin” (direção de Serguei Eisenstein, Rússia, 1925, 72 minutos de duração). Esta produção passa-se em 1905, na Rússia czarista, quando aconteceu o levante que pressagiou a Revolução de 1917. Tudo começou no navio de guerra Potemkin, quando serviram carne estragada aos marinheiros no jantar, insistindo que ela era perfeitamente comestível. Cansados de serem maltratados, o grupo se rebela contra a tirania de seus comandantes. A tensão aumenta e, gradativamente, a situação sai cada vez mais do controle.
 
CINEMA EM REFLEXÃO - Após as sessões de outubro do projeto ‘CineCafé’, do Sesc Sorocaba, também serão discutidas com o público presente as produções cinematográficas pertencentes à categoria ‘Cinema Revolucionário’ que, a partir da Rússia, revolucionaram, assim, a linguagem do Cinema em âmbito mundial. Os encontros acontecem das 20h30 às 21h30.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar