Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< PUBLICIDADE Seguindo a Europa, Brasil tem Novo Nicho de Patrocínio no Esporte

Publicada em 18/07/2019 às 18:05
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Após aprovada a MP sobre Apostas Esportivas, sancionada em dezembro de 2018 pelo então Presidente da República,  Michel Temer, o Brasil passou a viver um outro cenário no esporte brasileiro.
A presença maciça dos sites de apostas esportivas em território brasileiro já é uma realidade. Em pouco mais de sete meses já presenciamos patrocínios em camisas de times de basquete, vôlei de praia e nos principais clubes de futebol do País.
O último a assinar um contrato de patrocínio foi o Flamengo, equipe tradicional do futebol carioca que possui o maior número de torcedores do País.
E esse não é um caso isolado, pois o time com a segunda maior torcida do Brasil também tem como um de seus patrocinadores um site de apostas esportivas.
Os sites de apostas já patrocinam metade das equipes que disputam a Série A do Brasileirão. Sites especializados no assunto, como a iGaming Brazil noticiam e relatam os patrocínios das empresas com os clubes.
A chegada das casas de apostas ao País agrega ao esporte e tudo indica que alavancará os valores de patrocínios. Esse cenário desenha-se no momento em que a Caixa Econômica Federal,  que era a principal investidora nas camisas das Séries A e B do Brasileirão e chegou a ter 25 clubes como parceiros, tirou seu time de campo  por motivos de contensões de despesa.
Bruno Maia, vice-presidente de marketing do Vasco da Gama,  está satisfeito com essa realidade no Brasil e esperançoso de dias melhores.
“Se essa regulamentação vier logo, a expectativa é de que os sites de apostas se tornem um importante patrocinador para a camisa dos clubes brasileiros, como já acontece em torneios europeus, como a Premier League”, analisou.  
Bruno Maia cita na entrevista que concedeu ao Jornal O GLOBO, a Premier League, primeira divisão do Campeonato Inglês de Futebol. 
E foi do Campeonato mais bem-organizado do futebol mundial que saíram os dois finalistas da Liga Europa da UEFA (Arsenal e Chelsea), assim como os finalistas da UEFA Champions League (Liverpool e Tottenham). 
Para se ter um campeonato mais moderno, organizado e rico, onde possam desfilar grandes jogadores nos gramados atraindo público e gerando renda, o Brasil precisa seguir exemplo dos melhores e, pelo menos, no quesito patrocínio, parece que o País do Futebol acordou.
(Informe publicitário)
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar