Domingo, 8 de Dezembro de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< EDUCAÇÃO Enem terá aplicação digital em 2020 em fase piloto Nada muda para os participantes inscritos em 2019

Publicada em 03/07/2019 às 22:17
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: ABr)

O Ministério da Educação anunciou nesta quarta-feira (3), em Brasília, que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vai se tornar digital. A proposta é de uma implementação progressiva. Em 2020, a versão digital será aplicada em fase piloto.

A previsão do governo é de abandonar as versões impressas em 2026. Nada irá mudar para os participantes inscritos em 2019.

As primeiras aplicações digitais serão opcionais. O estudante vai escolher o modelo no momento da inscrição.

Segundo o MEC, no primeiro ano de teste, o modelo digital será aplicado para 50 mil pessoas em 15 capitais do país. A expectativa é que a versão digital abra outras possibilidades como a de realização do exame em várias datas ao longo do ano, por agendamento.

Em 2020, portanto, o Enem terá três aplicações: a digital, a regular e a reaplicação. Este último caso é voltado para candidatos prejudicados por algum problema logístico ou de infraestrutura durante a realização da prova digital. Eles terão direito à reaplicação, que ocorrerá em papel.

Para o governo, o Enem Digital vai permitir a utilização de novos tipos de questões com vídeos, infográficos e até a lógica dos games. Também será possível aplicar o Enem em mais municípios.

“Até 2026, a prova vai ser muito parecida com o que é hoje, mas toda ela vai ser feita no computador, como foram as transformações lá fora. Até 2026, todo mundo vai fazer a prova pelo computador, e vai poder fazer isso em várias datas ao longo do ano”, disse hoje (3) o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Segundo ele, o estudante que ficar de fora de um exame poderá fazer a outra aplicação. 

Não haverá distinção de valor entre a aplicação digital e em papel, de acordo com a pasta. 

No Twitter, o presidente Jair Bolsonaro destacou que a mudança deve tornar o exame acessível a mais municípios. O presidente também ressaltou a redução da burocracia e de gastos. "[A ideia] é transformar a prova em um modelo sustentável, com menos impressão de papel." Bolsonaro acrescentou que o país dispõe de "tecnologia e segurança para desempenhar atividades desse porte".

 

 

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar