Domingo, 16 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< Cesta básica fecha maio em baixa Tendência indica queda de preço de produtos de consumo básico, como batata, o feijão, a carne de 1ª e de 2ª e a muçarela fatiada. De 34 itens pesquisados, 21 abaixaram

Publicada em 06/06/2019 às 12:25
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Agência Brasil)

O preço da Cesta Básica Sorocabana em maio, quando comparado com o mesmo mês do ano passado, teve um aumento de 8,43%, ou seja, R$ 47,37 pagos a mais pelo consumidor, conforme se deduz do boletim mensal preparado pelo Laboratório de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade de Sorocaba (Uniso), liberado à imprensa na tarde desta quarta-feira (5). Quando comparado com o mês anterior (abril/2019), o preço da cesta apresentou uma queda de -1,22%, passando de R$ 616,69 para R$ 609,17, ou seja, R$ 7,52 pagos a menos pelo consumidor.

Pela variação do preço entre os meses dos anos de 2018 e 2019, comenta o professor Lincoln Diogo Lima, coordenador da pesquisa, nota-se que, depois de sofrer uma forte tendência de alta em maio e junho de 2018, devido à greve dos caminhoneiros e suas consequências, de julho até setembro o valor da cesta básica passa a apresentar uma forte tendência de queda, sendo interrompida nos últimos meses do ano, encerrando 2018 com uma alta acumulada de 4,03%. “Já em 2019, depois de quatro meses consecutivos de alta, a cesta básica voltou a apresentar queda em maio (-1,22%). A redução em maio (-1,22%) foi no sentido contrário ao resultado medido pelo índice de inflação oficial (IPCA-15), que apresentou elevação de 0,35%. Isso indica que os produtos de consumo básico que compõem a cesta básica ficaram, em média, mais baratos, ao passo que os bens e serviços em geral na economia tornaram-se, em média, mais caros. Já no acumulado do ano, tanto a cesta básica, quanto a inflação medida pelo IPCA-15 apresentaram alta de 3,93% e 2,27% respectivamente”, aponta ainda o estudo do Laboratório de Ciências Sociais Aplicadas da Uniso.

Os grupos de bens que compõem a Cesta Básica Sorocabana apresentaram assim, em maio de 2019, as seguintes variações de preço em relação ao mês anterior: alimentação (-1,44%), limpeza (0,85%) e higiene pessoal (-0,72%). Os produtos que mais contribuíram para a queda de preços foram a batata, o feijão, a carne de 1ª e de 2ª e a muçarela fatiada.

 

BATATA E FEIJÃO LIDERAM BARATEAMENTO DA CESTA - Dos 34 itens pesquisados na Cesta Básica Sorocabana, por outro lado, 21 deles apresentaram queda no preço, contribuindo significadamente para seu barateamento. Entre os itens que apontaram maior queda, está a batata (-17,31%), passando de R$ 5,20/kg em abril para R$ 4,30/kg em maio. O principal motivo para tal queda se deve ao aumento da oferta, principalmente da região sul do País, propiciado pelo início da safra das secas, que costuma apresentar maior produtividade.

O segundo item que apresentou maior redução de preço foi o feijão (-12,09%), passando de R$ 7,86/kg em abril para R$ 6,91/Kg em maio. As recentes boas colheitas realizadas principalmente na região sul do Estado contribuíram para aumentar a oferta nacional e, consequentemente, para que os preços diminuíssem. Em terceiro lugar, o produto que apresentou a maior queda foi o vinagre (-7,35%), passando de R$ 2,04/(750ml) em abril para R$ 1,89 em maio. Com tal resultado, o vinagre apresenta a sua primeira queda no ano. Outro item que sofreu queda do preço em relação ao mês anterior foi a farinha de mandioca (-6,71%), passando de R$ 3,43/500grs em abril para R$ 3,20 em maio. Apesar de não estarem entre os produtos que tiveram as maiores quedas no preço, depois da batata e do feijão, a carne de primeira e de segunda e a muçarela fatiada foram, respectivamente, os produtos que mais contribuíram para a queda no preço da Cesta Básica Sorocabana, devido aos respectivos pesos desses itens na sua metodologia de cálculo. O principal motivo para a redução de preço de tais produtos foi a baixa demanda pela lenta recuperação da economia e o desemprego elevado.

Por outro lado, o produto que apresentou a maior alta foi o alho (7,86%), passando de R$ 3,69/200grs em abril para R$ 3,98 em maio - com tal resultado, apresenta a sua terceira alta consecutiva no ano. Cotada a R$ 6,44/(2 litros), a água sanitária também está entre os produtos que apresentaram as maiores altas de preços em maio (4,21%). Outro produto que sofreu aumento no preço em relação ao mês anterior foi o frango (3,84%), passando de R$ 6,25/kg em abril para R$ 6,49 em maio. Com o resultado de maio, o frango apresenta a sua quarta alta consecutiva no ano, apresentando em 2019 uma alta acumulada de 8,11%. “O principal motivo para essa tendência de alta é o aumento da sua demanda devido à substituição de carne vermelha, que é mais cara, pela carne de frango, que é mais competitiva”, acrescenta o professor Renato Vaz Garcia, coordenador do Laboratório de Ciências Sociais Aplicadas.

Em quarto lugar, está a cebola, que, com um aumento de 2,41% em seu preço, passou de R$ 4,15/kg em abril para R$ 4,25 em maio. Contudo, no ano a cebola ainda apresenta uma alta acumulada de 45,43%. 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar