Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< Vereador questiona desperdício de recursos públicos: instalação de grades inúteis em canteiro de avenida ‘Novidade’ surge nas avenidas Juvenal de Campos/Pereira Ignácio, prolongamento da Marginal em direção a Votorantim

Publicada em 23/05/2019 às 11:34
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Um olhar mais cuidadoso de pedestres e motoristas que passam pela avenida Juvenal de Campos, o prolongamento da Marginal no trecho a partir da praça Dom Tadeu Strunck em direção a Votorantim, e na sequência no final da avenida Comendador Pereira Ignácio, é capaz de identificar no canteiro central grades de ferro “que não servem para nada, caracterizando um exemplo claro de desperdício de dinheiro público”, como denuncia na Câmara o vereador Péricles Régis (MDB). Em resposta a requerimento que o vereador apresentou no Legislativo questionando o emprego das grades, o Executivo informa que tais grades isoladas, embora estejam ‘instaladas no meio do nada’, possuem a função de impedir pedestres de atravessarem em locais de grande perigo.

Péricles percorreu a avenida algumas vezes e contou 17 grades isoladas. Com cerca de 2 metros cada uma, totalizam mais de 30 metros de grades não contínuos, colocados em locais aleatórios em trechos de grama que nem sequer possuem passagens concretadas para pedestres. “Essas grades não têm qualquer caráter educativo, não possuem uma placa orientando sobre o risco de travessia e não representam qualquer obstáculo ao pedestre que quiser cruzar a via naqueles pontos”, protesta o vereador. “Basta a pessoa desviar um metro para o lado e terá caminho livre para passar por cima do canteiro. Não serve para educar, nem para proteger o pedestre. Apenas desperdício d e recursos que eu quero descobrir até onde se estende”, complementa.
Em resposta, a Urbes informou ainda ao Legislativo, em resposta a Péricles, que, no total, a avenida possui cerca de 90 metros de grades instaladas no trecho, sendo que o metro custou à Prefeitura R$ 162. O vereador, porém, ressalta também que na altura do número 1935, onde foi construída uma rotatória, há grades contínuas realmente funcionais, que impedem a travessia de pedestres, porém quando se avança no sentido da avenida Dom Aguirre, estão as 17 grades isoladas sem funcionalidade, que em uma conta aproximada custaram mais de R$ 5 mil à Municipalidade.

 

NOVO REQUERIMENTO - Em um novo requerimento que será apresentado na sessão legislativa desta quinta-feira (23), o vereador Péricles Régis pedirá novas explicações ao Paço sobre as grades, questionando, inclusive, se instalações parecidas foram feitas em outras vias da cidade.  
Além do requerimento, Péricles vai encaminhar à Corregedoria do Município um pedido de abertura de procedimento investigatório de apuração do caso. Quer saber quem autorizou a obra e quais os estudos apresentados.

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar