Terça-Feira, 18 de Junho de 2019

Diário de Sorocaba

buscar

<< Denúncias envolvendo Casa do Menor motivam pedido de abertura de CPI Objetivo é apurar possível negligência da Secretaria de Igualdade e Assistência Social

Publicada em 03/05/2019 às 10:12
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Um pedido de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) será protocolado na Câmara de Sorocaba pelo vereador Rodrigo Manga (DEM), com o objetivo de apurar se há negligência da Secretaria de Igualdade e Assistência Social para evitar falhas no acolhimento de crianças e adolescentes destituídos de seus responsáveis legais. Existem denúncias de abusos sexuais e brigas, fora o uso e venda de drogas dentro da unidade da Casa do Menor, localizada no Jardim Zulmira, e conveniada à Prefeitura. Tanto a secretária da pasta como os representantes da Casa do Menor participaram da sessão de ontem da Câmara
“A secretária Cíntia de Almeida deu suas explicações, mas não convenceu. Pior, por meio da presidência da Casa do Menor e um psicólogo que lá atua, soubemos que essas ocorrências, de fato, vêm acontecendo. Mas parece que não há empenho em resolver essa situação rapidamente, de forma a preservar e proteger essas crianças e jovens”, destaca Manga. No dia 18 de março, o vereador fez visita à Casa do Menor e soube das ocorrências. Na ocasião, tinha acabado de acontecer um caso de violência sexual contra uma criança de 8 anos de idade. 
Facas também foram recolhidas lá dentro num outro momento, e apreensão de entorpecentes, principalmente de maconha, virou rotina, relataram funcionários da entidade. Tanto o Conselho Tutelar, como o Ministério Público (MP) e a Vara da Infância e da Juventude estão a par dessa situação, que engloba ainda fugas de acolhidos e algazarras. Tudo foi registrado pela Casa do Menor, inclusive, junto à Polícia Civil, em boletins de ocorrência. Manga também comunicou a Promotoria do Estado sobre o assunto. 
“Toda essa história está muito mal-contada. Enquanto nada se resolve, os adolescentes acolhidos são as maiores vítimas. É importante entender tudo o que se passa e buscar uma solução para o que está acontecendo”, complementa o vereador. A Casa do Menor é uma das cinco entidades conveniadas à Prefeitura para prestar esse tipo de atendimento e gerencia quatro casas, uma delas essa no Jardim Zulmira. No total, Sorocaba tem 120 vagas para acolhimento a crianças e adolescentes, das quais 60 ligadas à Casa do Menor. 
Por sua vez, a secretária de Igualdade e Assistência Social, Cíntia de Almeida, disse que a Casa do Menor é interventora do Lar Refúgio, que foi interditado pela Vara da Infância e Juventude, e tem 180 dias para acolher os menores que estavam no local. “Temos conhecimento de todas as denúncias, mas não temos poder punitivo”, afirmou a secretária, acrescentando que o Ministério Público acompanha o caso.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar