Quinta-Feira, 21 de Março de 2019 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< INTERNACIONAL Papa pede medidas concretas para erradicar crimes sexuais no clero O pontífice falou na abertura de uma cúpula sobre o tema

Publicada em 21/02/2019 às 18:37
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Agência Brasil)
O papa pediu nesta quinta-feira (21), na abertura de uma reunião histórica da Igreja para abordar os abusos sexuais cometidos por membros do clero, "medidas concretas e efetivas" de combate. Segundo o pontífice, não basta apenas condenar esses crimes.
 
"O povo de Deus está a ver-nos e espera que nós não só condenemos, mas que tomemos medidas concretas e efetivas", afirmou o papa Francisco perante 190 representantes da hierarquia religiosa. "A concretização dessas medidas é necessária", destacou.
 
"Confrontados com o flagelo do abuso sexual realizado por homens da Igreja contra as crianças, pensei em consultar-me convosco, patriarcas, cardeais, arcebispos, bispos, superiores religiosos e responsáveis, para que juntos possamos ouvir o grito dos pequenos que pedem justiça", ressaltou Francisco.
 
O papa disse aos presentes que nessa reunião pesa a responsabilidade pastoral e eclesial que os obriga a discutir em conjunto, de maneira sinodal, de forma sincera e profunda "a forma de enfrentar esse mal que aflige a Igreja e a humanidade".
 
Francisco disse que será entregue aos participantes "uma linha guia" para ajudar a refletir, sendo esta apenas um ponto de partida das discussões.
 
O papa pediu que o Espírito Santo ajudasse a Igreja nestes dias a "transformar este mal em uma oportunidade para se tomar consciência e para se purificar".
 
O pontífice rogou à Virgem Maria que iluminasse a Igreja para "tentar curar ferimentos graves causados pelo escândalo da pedofilia tanto aos pequenos quantos aos crentes".
 
A reunião começou com as palavras de uma vítima, lidas por um dos membros da comissão organizadora e especialista na luta contra os abusos, o padre Hans Zollner. "Nem os meus pais, nem os oficiais da igreja ouviram o meu clamor e pergunto-me: 'Porque Deus também não o ouviu?'", disse o padre, ao ler as palavras da vítima de abuso sexual.
 
O papa argentino vai tentar convencer, nos próximos dias, os presidentes das Conferências Episcopais da Igreja Católica no mundo da sua responsabilidade individual face às agressões sexuais a menores.
 
Ouvir as vítimas, aumentar a consciência, aumentar o conhecimento, desenvolver novos procedimentos, e partilhar boas práticas são alguns dos objetivos do encontro.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar