Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Grafite continua colorindo caminhões da coleta de lixo

Publicada em 05/02/2019 às 12:17
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
Ao todo, Sorocaba conta com três caminhões da coleta de lixo grafitados. Os veículos ganharam seis obras expostas e têm rodado pela cidade. De acordo com a Secretaria da Cultura da Prefeitura, o objetivo do projeto é valorizar a arte urbana e deixar os veículos com o visual mais bonito. Para isso, o Município está investindo R$ 2,6 mil em cada obra, valor que inclui o material utilizado. A verba do projeto é de emendas do vereador Péricles Régis. A proposta contempla no total 10 obras em cinco caminhões, com tamanho de 2,30 metros por 1,80 metro. 
Ainda de acordo com a pasta, na quinta-feira (7), a partir das 8 horas, mais um caminhão da coleta de lixo de Sorocaba receberá a arte de grafite. Desta vez, a intervenção será feita pelas mãos dos artistas Felipe Rodrigues e Gustavo Henrique. A atividade será na empresa CSA (Consórcio Sorocaba Ambiental) e, após o término, o caminhão retornará a circular pelas ruas da cidade. O artista visual William Ferreira, que grafitou um dos lados do primeiro caminhão, acredita que as obras em caminhões de lixo têm provocado reflexões importantes na população. 
Sua obra trata da relação do homem com a natureza. “A arte vem para questionar, vem para fazer o povo parar e pensar. Então, quando as pessoas veem uma obra de arte em um caminhão de lixo, a primeira coisa que elas vão fazer é pensar. O ser humano tem mesmo de pensar, refletir”, destaca. “O caminhão de lixo com o adesivo tradicional da empresa é comum. Já o caminhão grafitado vira um veículo mais simpático na rua”, analisa o coordenador operacional da CSA, André Pompeu, responsável pelos caminhões. Ele ainda destaca que foi preciso pensar na questão conservação do veículo no início do projeto.
“Nosso caminhão é lavado o tempo todo com água pressurizada e produtos abrasivos, por isso nos preocupamos com a conservação dos grafites. O verniz que os grafiteiros inicialmente usavam é à base de água, o que não ia conservar muito bem. Então, começamos a usar verniz automotivo e deu muito certo, os veículos estão superconservados, sem desgaste e corrosão, mesmo já estando rodando há meses pela cidade”, explica Pompeu.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar