Quinta-Feira, 22 de Novembro de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< POLÍCIA Acusados de matarem metalúrgico já tinham sequência de crimes na Zona Oeste

Publicada em 22/10/2018 às 19:10
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

O assassinato do metalúrgico Rafael Dias Batista, 35 anos, ocorrido há uma semana, foi cometido por quatro ladrões que figuravam em uma série de crimes registrados na Zona Oeste de Sorocaba que envolveram até ameaçar de morte a um bebê de um ano de idade. O quarteto de criminosos aterrorizou moradores de um bairro-condomínio fechado na Zona Oeste, o Residencial Villagio Turino, antes de encontrar o operário e matá-lo. São dois adolescentes de 17 anos - um se torna maior de idade em dezembro e o outro em janeiro de 2019, com passagens criminais por tráfico de drogas e roubo; Bruno Vieira da Silva, 27 anos, recém-saído da cadeia em setembro, onde cumpria pena por roubo; e Felipe Proença Bonfim, de 20, dono do carro usado na sequência de crimes que terminou no latrocínio e único que até então não tinha passagem criminal.

Com exceção de Bruno, que está foragido, todos os outros foram presos por policiais da Delegacia de Investigações Gerais/DIG de Sorocaba, que cuidou de encontrar os acusados. O morador assassinado do Villagio Turino saira de casa para colocar o lixo fora e foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência/Samu e encaminhado ao Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS), mas não resistiu aos ferimentos e morreu. 

A arma era de um dos menores --o que têm passagem por tráfico - e é ele quem efetuou o disparo que atingiu mortalmente o metalúrgico. Assim que viu os três homens em direção a sua casa, fechou o portão automático da residência. O adolescente deu um tiro no peito da vítima e fugiu com o bando. Livraram-se da arma, mas o celular do atirador caiu durante a fuga. Antes de ser internado e morrer, Rafael reconheceu um dos bandidos pelo aparelho, já que o papel de parede era uma foto do próprio. Esse foi um dos principais atalhos para a Polícia solucionar o latrocínio ocorrido na noite do dia 15, segunda-feira da semana passada, e três bandidos foram presos dias depois, como anunciaram à imprensa nesta segunda-feira (22) o delegado seccional de Polícia do Município, bel. Marcelo Carriel, e o titular da DIG, bel. Acácio Aparecido Leite.

Antes de matarem Rafael, o grupo delinquente, em um espaço de menos de uma hora, atacou outro morador do bairro, roubando seu celular. O cachorro de estimação da vítima, um rottweiller, escapou de ser baleado. Em seguida, os ladrões invadiram outra casa, roubando um par de alianças da família. O bebê de um ano do casal foi, inclusive, ameaçado de morte e chegou a ter uma arma apontada para sua cabeça. Na hora de fugirem, os bandidos deram um tiro na casa. Foi só depois de tudo isso que chegaram, por volta das 21h30 do dia 15, na casa do metalúrgico.

SITUAÇÃO DA MAIORIDADE - Ao detalharem as ações ontem, os delegados Marcelo Carriel e Acácio Aparecido Leite lamentaram o fato de dois dos criminosos desse nível de violência serem menores de idade. Felipe e Bruno estão indiciados por associação criminosa e latrocínio, mas os menores serão apenas imputados como ato infracionais em crimes equivalentes, o que significa que são penas bem menores para a Justiça.

Os quatro são moradores da Zona Norte e buscavam bairros afastados e novos para roubar.

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar