Sábado, 22 de Setembro de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SAÚDE Em um ano, cai número de interdições no ramo alimentício em Sorocaba

Publicada em 04/09/2018 às 23:33
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

O número de interdições de estabelecimentos comerciais do ramo alimentício emSorocaba registrou queda neste ano, quando comparado ao mesmo período de 2017. De acordo com a Vigilância Sanitária, até o último mês de agosto, não houve interdição no munícipio. Já no ano anterior, foram interditadas uma padaria, uma fábrica de massas e uma lanchonete.
 
A nutricionista Tatiana Luckner, consultora em qualidade e segurança alimentar, explica que seguir as orientações e adequações das normas da Vigilância Sanitária é uma necessidade básica para qualquer estabelecimento do ramo e, como consequência, traz o sucesso e tranquilidade em relação a fiscalizações.
 
“Quando implantado com eficácia, um programa de controle de qualidade dos alimentos pode representar uma vantagem competitiva para a empresa alimentícia, além de resguardar o estabelecimento de eventuais problemas que possam gerar riscos de imagem e reputação”, comenta.
 
Tatiana enfatiza ainda que todo cliente tem o direito de conhecer o local de alimentação que desejar. No entanto ele tem de ser maior de 18 anos, estar ausente de patologias evidentes e estar paramentado para essa visita. “Os paramentos são oferecidos pelos comércios, como touca e avental de proteção”, ressalta, alertando que a visita pode acontecer a qualquer momento. “Um trabalho adequado está preparado para qualquer ocasião.”
 
A nutricionista adianta que o trabalho de regularização deve ser constante, porque a implantação de todos os procedimentos integra um processo e exige manutenção. “Caso o trabalho não seja contínuo, com supervisão, os colaboradores tendem a voltar aos vícios antigos.”
 
Usualmente, quando é lavrada a penalidade de interdição total do comércio, não há aplicação de multa. Contudo a multa é aplicada antes, quando a equipe da Vigilância Sanitária está tentando não culminar na interdição.
 
Assim, Tatiana destaca não existir um prazo específico para a formalização de um estabelecimento, mas salienta que, com uma equipe treinada e adequada em capacitação, o local estará mais cedo dentro das normas.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar