Domingo, 16 de Dezembro de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< ECONOMIA Preço da cesta básica segue ritmo de queda Na diferença de um mês, também houve decréscimo de R$ 19,67

Publicada em 06/08/2018 às 19:08
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Arquivo/DS)
O preço da cesta básica sorocabana em julho deste ano, quando comparado com o mesmo mês do ano anterior, teve uma queda de 0,04%, ou seja, R$ 0,24 pago a menos pelo consumidor. Quando comparado com junho, o preço apresentou decréscimo de -3,29%, passando de R$ 597,14 para R$ 577,47, ou seja, R$19,67 pagos a menos pelo consumidor. Os dados constam no boletim mensal do Laboratório de Ciências Aplicadas da Universidade de Sorocaba. 
 
Dos 34 itens pesquisados na cesta básica sorocabana, 12 deles apresentaram queda no preço. Entre os que apontaram maior queda está a cebola (-53,93%), cotada a R$ 2,05, o quilo, em julho, ante R$ 4,45, em junho. O principal motivo para a forte queda foi o aumento da oferta nacional, principalmente da região do Triângulo Mineiro, Goiás e Nordeste.
 
Em seguida, está a batata, com uma baixa de 34,56%, passando de R$ 2,72, o quilo, em junho para R$ 1,78, o quilo, em julho. O motivo foi o reflexo da intensificação da safra de inverno, que permitiu uma quantidade alta de tubérculos no mercado, e com uma qualidade muito satisfatória, visto que as principais regiões produtoras do sul e sudeste estão com clima favorável à produção – dias mais quentes e noites frias.
 
Em terceiro lugar, o alho apresentou a maior queda (-16,25%), cotado a R$ 3,57 (200g) em junho e R$ 2,99 (200g) em julho. O principal motivo foi a entrada da safra nacional e da safra Argentina, que passou a ser importada. 
 
A seguir está o frango, com uma queda no preço de -13,46%, cotado a R$ 5,21, o quilo, em julho, ante R$ 6,02, em junho. Após passar os efeitos de altas significativas dos preços, provocadas pela greve dos caminhoneiros, as cotações do frango estão em queda. Isso se deve ainda à baixa demanda, ocasionada pela crise econômica. 
 
Por sua vez, entre os produtos que apresentaram as maiores altas de preços em julho está a farinha de trigo (9,63%), passando de R$ 3,22, o quilo, em junho para R$ 3,53, em julho. A causa está relacionada aos fretes tabelados no País após a greve dos caminhoneiros e a instabilidade do dólar, fazendo com que os moinhos de trigo precisassem reajustar os preços da farinha a fim de cobrir esse aumento de custo.
 
Outro item que sofreu aumento do preço em relação ao mês anterior foi a muçarela fatiada (8,46%), passando de R$ 25,40 para R$ 27,55. Quando comparada com o mesmo mês do ano passado, a muçarela fatiada apresenta aumento de 17,28%, na época o seu preço registrado foi de R$ 23,49. 
 
Estimada a R$ 9,07, a salsicha também está entre os produtos que apresentaram as maiores altas de preços (7,98%). Outros produtos que tiveram aumento no preço foram o sabão em barra (4,99%) e o papel higiênico (4,94%). 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar