Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< ECONOMIA Cesta básica volta a apresentar alta Alho (25,22%), ovos (9,67%) e leite longa vida (9,52%) são os principais responsáveis

Publicada em 12/04/2018 às 18:30
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Arquivo/Fernando Rezende)
O consumidor sorocabano pagou R$ 553,62 na cesta básica no mês de março, valor 0,54% mais caro na comparação com fevereiro, que apresentou forte queda (-2,87%). No acumulado do ano, no entanto, a cesta básica permanece com um custo de variação negativa (-1,75%).
 
Segundo dados apresentados pelo boletim mensal da Cesta Básica Sorocabana, produzido pelo Laboratório de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade de Sorocaba (Uniso) e divulgado na tarde desta quinta-feira (12), o grupo de higiene pessoal teve a maior alta (1,51%), seguido da alimentação (0,50%). Itens relacionados à limpeza estiveram em queda (-0,33%).
 
Dos 34 itens pesquisados, 22 deles apresentaram altas nos preços, segundo o boletim de março da Cesta Básica, com destaque para o alho (25,22%) e os ovos (9,67%). Os principais motivos para o avanço nos preços dos ovos no varejo foi o fim das férias escolares e a Quaresma, pois são fatores que contribuem para elevação de demanda de consumo. Segundo apurou a pesquisa, o preço dos ovos nesta época é comum   subir; em 23 anos de pesquisa, apenas em três o valor caiu.
 
O LEITE COMO VILÃO - O leite longa vida, por outro lado, teve aumento significativo de 9,52% em março, atingindo bem mais de R$ 3,00 o litro, pela baixa oferta, consequência de falta de pastagens. Já o papel higiênico subiu 7,09% pela falta de seu principal insumo, a celulose de fibra curta, após os incêndios florestais no Canadá, e a muçarela fatiada, 5,24%, diretamente relacionada à alta do preço do leite.
 
Em contrapartida, o produto que mais apresentou queda no mês passado, de acordo com os levantamentos do Laboratório de Ciências Sociais Aplicadas da Uniso, foi a batata (-9,09%), passando de R$ 2,31 para R$ 2,10 o quilo. As fortes chuvas e altas temperaturas nas principais regiões produtoras foram fatores preponderantes, uma vez que as condições climáticas beneficiaram o vegetal e os produtores tiveram de baixar o preço para não acumularem estoques.
 
O frango também teve redução de -6,61% em março, a quinta queda consecutiva. O motivo é a “Operação Carne Fraca”, que suspendeu as exportações do produto para frigoríficos europeus e direcionou para o mercado doméstico, causando aumento de oferta.
 
Se comparada ao resultado do IPCA-15 no mesmo período, a cesta básica sorocabana neste terceiro mês de 2018 teve produtos 0,10% mais caros que os bens e serviços em geral na economia. No acumulado do ano, a alta é de 0,87%.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar